Confira!


A TAG hábitos de leitura é muito popular, e eu inclusive já a respondi no meu canal. Mas como texto é uma coisa e vídeo é outra, quando vi a Lívia Santana do nosso blog parceiro Check-in Virtual tinha me indicado, decidi participar. Além disso, eu vi que as perguntas para blogs eram diferentes das perguntas feitas para vídeos, o que foi um motivo a mais para responder.
E você pode ler todas as minhas perguntas agora mesmo!

1- Quando você lê? (Manhã, tarde, noite ou quando tem tempo):
Eu posso dizer que leio sempre que tenho tempo. Levo meus livros comigo para a faculdade, e sempre leio dentro do ônibus, tanto na ida quanto na volta. E sempre que saio para qualquer outro lugar, se for possível, levo um livro. Além disso, gosto de ler à noite, geralmente depois da janta. Ou então, leio em qualquer outro horário em que esteja livre.

2- Você lê apenas um livro de cada vez?
Geralmente, sim. Eventualmente, posso ler dois ao mesmo tempo (como ler o livro literário de minha preferência e ler também um livro exigido pela faculdade), mas procuro evitar isso. Porém, em certa ocasião, cheguei a ler três livros ao mesmo tempo: um de manhã, outro de tarde e outro de noite.

3- Qual seu lugar favorito para ler?
Gosto de lugares calmos e sem muito barulho, de preferência onde eu possa ficar sozinha.

4- O que você faz primeiro: lê o livro ou assiste o filme?
Já li muitos livros depois de ter visto o filme (várias vezes, inclusive). Aconteceu assim com Harry Potter, com As Crônicas de Nárnia, Coraline, Coração de Tinta, e vários outros. Mas quando comecei a perceber que ver o filme primeiro me deixava com expectativas sobre o livro, decidi evitar ao máximo assistir os filmes. Por isso, hoje estou com projeto de ler vários livros, e me segurando com os filmes. Um exemplo disso é a trilogia O Senhor dos Anéis.

5- Qual formato de livro você prefere? (livro físico, audio-book, e-book)
Sem sombra de dúvida prefiro os livros físicos! Nunca ouvi um audio-book, e tenho muita implicância com livros digitais, apesar de estar conseguindo me adaptar relativamente bem, por causa das leituras da faculdade. Mas sempre vou ter preferência pelos livros físicos.


E chegamos ao fim das perguntas! Essa TAG é muito divertida, e o legal e ver que cada pessoa sempre vai responder de forma diferente. Agora vou listar os blogs que indico:


Se você é um dos blogueiros indicados por mim, peço que volte aqui para deixar o link nos comentários, pois já estou curiosa para ler seus respostas! E se você apenas está visitando o blog e quer responder também, fique à vontade! Mas não se esqueça de deixar o link também!

E se você quiser ver o vídeo que gravei respondendo a uma TAG com o mesmo nome, porém com perguntas diferentes, basta clicar aí embaixo!



Por: Lethycia Dias




Já faz um bom tempo desde quando fiz o último post da Sessão 10. Eu não sei quanto a vocês, mas já estava com saudade! Assim que percebi a falta desse projeto em forma de lista do qual eu gosto tanto, comecei algumas pesquisas para poder oferecer novos conteúdos para vocês. Dessa vez, optei por uma coisa diferente. Vocês hoje conferem aqui no Loucura Por Leituras algumas notícias muito interessantes sobre o assunto que nós mais gostamos: livros!
Notícias sobre literatura não costumam aparecer muito nos principais noticiários. Isso porque veículos de comunicação são orientados de acordo com algo que no Jornalismo chamamos de "valor notícia". Isto é, são escolhidas para publicação as pautas que dizem respeito a um maior número de pessoas, e que sejam mais "relevantes" para a população e público alvo do veículo em questão. Linha editorial e atualidade também influenciam na escolha. Não que livros não sejam importantes, mas entre falar sobre a publicação do livro x e sobre um grande escândalo de corrupção no governo, adivinhem qual dos dois acontecimentos prevalecerá?
Talvez nós nos lembremos mais de notícias ruins, como "índice de leitura do brasileiro é muito baixo", "livros são jogados fora", "biblioteca é fechada por falta de recursos". Mas para esse post, eu resolvi escolher apenas notícias boas! Confira todas elas agora!

10 notícias muito legais sobre livros:


1- 20 mil livros são arrecadados em Uberlândia:
Uma campanha chamada Livraria Vazia, na cidade de Uberlândia, foi realizada durante o Encontro Literário do Cerrado (Elicer). 20 mil livros já foram recolhidos, grande parte deles doados pela livraria da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).
Fonte: G1
Data: 19/11/2015

2- Leitores têm suas histórias contadas:
O projeto História além da capa relata histórias de pessoas que gostam de ler, mostrando como a leitura atual se relaciona com suas vidas. A ideia foi de Bruno Lacerda e Ricardo Wolf, que possuem uma página no Facebook e um site. Eles pretendem dar visibilidade aos leitores, cujas histórias quase nunca são contadas. A página publica três fotos por semana de um entrevistado, ao lado de seu livro preferido. Para enviar sua história, você pode entrar em contato com eles pelo e-mail historia@alemdacapa.com.
Fonte: Catraca Livre
Data: 13/11/2015
Foto: Reprodução.

3- Taylor Swift doa 25 mil livros para escolas públicas:

Na semana passada, a cantora Taylor Swift doou 25 mil livros para escolas públicas de Nova Iorque. A boa ação foi feita em parceria com uma grande editora de livros infantis, a Scholastic. As doações foram feitas para as escolas que tinham maior necessidade.
Fonte: Jornal do Comércio
Data: 16/11/2015

4- Editora tem produção voltada para público LGBT:
Um casal de editores de São Paulo percebeu a falta de livros com conteúdos voltados para  público LGBT, e decidiu inovar: criaram a própria editora, voltada somente para isso! As obras publicadas pela editora, nem sempre terão casais homossexuais como protagonistas, ou estarão diretamente ligadas a uniões homoafetivas, mas de certa forma estarão ligadas ao assunto. O casal de editores anunciou a criação da Hoo Editora no Facebook, e logo receberam por e-mal oito originais. Uma semana depois, já possuíam quinze originais.
Fonte: G1
Data: 04/11/2015

5- Projeto leva livros para passageiros em Paragominas:
O projeto Rota de Leitura, criado na cidade de Paragominas, no sudeste do Paraná, pretende levar um pouco de leitura para passageiros de ônibus. A ideia é organizar uma programação para que uma pessoa possa estar presente dentro do ônibus, lendo obras de literatura regional e brasileira, ou até mesmo fazendo interpretações bem-humoradas. Eles querem, realmente, interagir com as pessoas.


Foto: Reprodução.
Fonte: G1
Data: 13/11/2015

6- Índios recebem estante de livros:
Indígenas da comunidade de Comboios, no município de Aracruz, no Espírito Santo, receberam uma estante de livros. A doação foi feita pelo projeto Estante Livre, que arrecada e doa livros para comunidades de no máximo 5 mil pessoas, desde que não possuam acesso a eles.
Fonte: G1
Danta: 26/11/2015

7- Livro infantil narra amor entre duas mulheres:
Ilustração do livro. Foto: Reprodução.
Janaína Leslão, psicóloga formada pela Unesp, Conselheira do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo, e militante das causas feministas e dos LGBT´s, está publicando um livro infantil que dará visibilidade às relações homoafetivas. Na história, que é um conto de fadas, a princesa está prometida em casamento ao príncipe do reino vizinho, mas acaba se apaixonando pela costureira que fará seu vestido de noiva. O conto, escrito em 2009, já foi recusado por 20 editoras. O lançamento acontecerá no dia 26 de novembro.
Fonte: Estadão
Data: 17/11/2015

8- ONG comercializa livros sobre a história e a cultura afro-brasileira:
O dia da Consciência Negra é uma data para ser lembrada e propor reflexão. Em data tão oportuna, a Organização Não Governamental Alphorria comercializou livros sobre a cultura negra ou afro-brasileira. São sobre as mulheres negras, crônicas, poemas, poesias temáticas, literatura infantil, religiosidade, biografias, aspectos sociais, entre outros.
Fonte: Folha do Mate
Data: 15/11/2015

9- Menina de 10 anos cria biblioteca nos fundos de casa:
Kaciane Caroline, de 10 anos, já leu mais de 500 livros. Ela mora em São José do Rio Preto e montou uma biblioteca na própria casa, com mais de quatro mil exemplares. Ela pretende transformar o acervo em uma biblioteca pública capaz de fazer catalogação e empréstimos, e seu grande objetivo é incentivar as pessoas a lerem, em especial as crianças. Para isso, ela possui uma campanha de arrecadação de doações no site Kickante. Para ajudar, basta clicar aqui.
Fonte: Catraquinha
Data: 06/11/2015

10- Escolas públicas receberão livros doados pela Natura:
A empresa de cosméticos Natura pretende fazer uma boa ação durante a Black Friday deste ano. Nessa sexta-feira, 27 de novembro, 4% do valor das compras feitas no site (sem contar com o preço do frete) será destinado à compra de livros de literatura clássica para escolas públicas. Serão beneficiadas escolas dos municípios de São Bernardo, São Jose do Rio Preto, São Paulo, Tremembé (SP) e Horizonte (CE). Essa é uma iniciativa do Instituto Natura, através do projeto Aprendizagem na Escola.
Fonte: Tribuna Hoje
Data: 23/11/2015


Esse post foi uma reunião de notícias publicadas nos últimos 30 dias. É possível que muitas delas tenham sido massivamente acessadas ou compartilhadas, mas outras podem ter passado totalmente despercebidas. Meu objetivo aqui foi compartilhar coisas legais que deixariam qualquer amante de livros feliz, não importa há quanto tempo tenham acontecido. Espero que tenham gostado de algumas delas!

Por: Lethycia Dias


Todas as fontes de pesquisa estão indicadas. Para maiores detalhes, consulte abaixo as referências bibliográficas.

Referências bibliográficas:
ADDE, Thalita. Projeto fotográfico conta histórias de pessoas a partir de seus livros favoritos. Catraca Livre. Disponível em <https://catracalivre.com.br/geral/livro/indicacao/projeto-fotografico-conta-historias-de-pessoas-a-partir-de-seus-livros-favoritos/>. Acesso em: 19/11/2015.
CAMPOS, Amanda. Editora lança livros para LGBTs: 'Querem literatura de qualidade'. G1. Disponível em <http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/noticia/2015/11/editora-lanca-livros-para-lgbts-querem-literatura-de-qualidade.html>. Acesso em: 19/11/2015.
LISAUSKAS, Rita. Livro infantil conta história de amor entre duas mulheres. Estadão. Disponível em <http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ser-mae/livro-infantil-conta-historia-de-amor-entre-duas-mulheres/>. Acesso em: 19/11/2015.
OLIVEIRA, Valéria. Taylor Swift doa 25 mil livros a escolas públicas de Nova Iorque. Jornal do Comércio. Disponível em <http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cultura/imagem-e-som/noticia/2015/11/16/taylor-swift-doa-25-mil-livros-a-escolas-publicas-de-nova-iorque-208271.php>. Acesso em: 19/11/2015.
SHMDIT, Carolina. Livros trazem a história e a cultura afro-descendente. Folha do Mate. Disponível em <http://www.folhadomate.com/noticias/cultura79/livros-trazem-a-historia-e-cultura-afro-descendente>. Acesso em: 19/11/2015.
Projeto leva livros até passageiros de ônibus em Paragominas. G1. Disponível em <http://g1.globo.com/pa/para/noticia/2015/11/projeto-leva-livros-ate-passageiros-de-onibus-em-paragominas.html>. Disponível em: 19/11/2015.
Índios da comunidade de Comboios recebem estante de livros, no ES. G1. Disponível em <http://g1.globo.com/espirito-santo/educacao/noticia/2015/10/indios-da-comunidade-de-comboios-recebem-estante-de-livros-no-es.html>. Acesso em: 19/11/2015.
Campanha de doação já arrecada mais de 20 mi livros em Uberaba. G1. Disponível em <http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2015/11/campanha-de-doacao-ja-arrecada-mais-de-20-mil-livros-em-uberlandia.html>. Acesso em: 19/11/2015.
Garota de 10 anos cria biblioteca nos fundos de casa para incentivar o hábito da leitura entre crianças. Catraquinha. Disponível em <https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/familia/indicacao/garota-de-10-anos-cria-biblioteca-nos-fundos-de-casa-para-incentivar-o-habito-da-leitura-entre-criancas/>. Acesso em: 23/11/2015.
Escolas públicas recebem doações de livros de empresa de cosméticos. Tribuna Hoje. Disponível em <http://www.tribunahoje.com/noticia/161687/brasil/2015/11/23/escolas-publicas-recebem-doaces-de-livros-de-empresa-de-cosmeticos.html>. Acesso em: 23/11/2015

"Baseada em um espisódio do livro Nos domínios da mediunidade, de André Luiz/Chico Xavier, Isabel Scoqui recria a história da moça do espelho, Estefânia, que em duas encarnações fora abandonada e cujo trauma paralisou-lhe a mente por 200 anos. Durante esses dois séculos a moça só consegue visualizar repetidamente as mesmas cenas, fixada na lembrança de um retrato e de um espelho ofertados por seu noivo, que viajou para a França com promessas de retorno não cumpridas. Confiante, a jovem continuou a esperá-lo. A moça do espelho apresenta Estefânia duas centenas de anos depois, mais uma vez reunida a seus afetos do passado. É a ação da Providência Divina, sempre nos mostrando que só o amor resgata as criaturas de seu mundo de sofrimento, acenando com novas possibilidades de reajuste e progresso espiritual."

Autor: Isabel Scoqui
Gênero: Romance espírita
Número de páginas: 200
Local e data de publicação: Capivari (SP), 2013
Editora: EME

Uma história mal contada


Esse livro está na minha estante desde janeiro. Eu o ganhei de presente, e tinha tantos livros novos para ler, que mal conseguia me organizar (na verdade, ainda não estou conseguindo lidar muito bem com essa grande quantidade). Durante esses meses todos, ele foi sendo lido pela minha mãe e pelas minhas tias, enquanto eu lia outras coisas. Só pouco tempo atrás foi que eu resolvi acabar de vez com a curiosidade sobre ele e ler de uma vez.
Como eu indiquei acima nas informações sobre o livro, trata-se de um romance espírita. Se você nunca leu nenhum livro desse tipo, é bom estar informado de que romances espíritas são mais ou menos voltados para pessoas que já conhecem alguns dos fundamentos do espiritismo. Alguns deles são: a vida após a morte, a reencarnação, a lei de causa e efeito, e as interferências (positivas ou não) de espíritos desencarnados em nossas vidas. Se você já entende um pouco sobre essas coisas, sua leitura será melhor; mas creio que também é possível compreender o livro sem conhecer esses fundamentos básicos. Quero apenas ressaltar que não se trata de um livro doutrinário! Não é um livro para convencer pessoas a serem espíritas; é um livro escrito de acordo com fundamentos do espiritismo, mas qualquer pessoa pode ler sem se sentir impelida a acreditar no que está lendo. Você pode ler este livro encarando-o como uma obra de ficção; no momento em que terminar, nada daquilo será real para você.
Então vamos ao enredo! Logo no início, Isabel Scoqui deixa bem claro que a história contada em A moça do espelho é inspirada em um relato lido no livro Nos domínios da mediunidade. Ela nos conta que a cena narrada no livro a impressionou, e a partir de pesquisas posteriores, ela decidiu escrever.
Estefânia é uma mulher jovem e bonita, que viveu no Brasil no início do século XIX, e que foi abandonada pelo noivo Jacques, que partiu para a França prometendo voltar para se casar com ela, porém acabou casando-se com outra, e nunca voltou. Ele lhe havia dado um espelho, e mais tarde, um retrato. Ela alimentava tantas esperanças de que ele voltaria, que quando desencarnou, seu espírito estava obcecado pela lembrança desse amor. Ela sequer percebeu que havia morrido, e permaneceu ligada ao espelho e a uma escrivaninha que havia pertencido a Jacques. Dois séculos depois, lá está Ana Maura: ela namora há muito tempo com Frederico, e o ama muito, mas não tem certeza sobre os sentimentos dele. Ela recebe como herança uma velha escrivaninha, e começa a planejar seu casamento com Frederico. Acontece que Frederico é Jacques reencarnado, e Ana Maura é a outra mulher com quem ele se casou depois de abandonar Estefânia. A partir daí, vários espíritos desencarnados que possuem relações de afinidade com eles e com Estefânia passam a fazer o possível para melhorar a relação dos dois e despertar a "moça do espelho" de suas lembranças do passado.
É um livro relativamente curto. Possui 200 páginas, com capítulos muito curtos (em média, 3 páginas cada um). A leitura é muito rápida, pois não é uma escrita muito detalhada. A autora descrever apenas aquilo que é indispensável, e assim, o texto é enxuto, quase seco. Não existe aquele caráter de acompanhar cada momento ao lado dos personagens, e por isso, podemos dizer que várias coisas acontecem de forma extremamente resumida.

"Estefânia sentia saudades. Não era uma saudade com urgência de reencontro.
Era uma saudade permanente, cozida no fogo do tempo, entranhada na alma.
Uma verdadeira fixação mental."

Como fazia muito tempo que eu não lia nenhum livro espírita, estranhei várias coisas. Vocês devem ter percebido, por exemplo, que eu não gostei da forma que o texto é escrito. Não foi uma leitura muito agradável. A história envolvendo Ana Maura, Frederico e a Estefânia desencarnada não muito cativante ou emocionante, embora seja interessante observar como muitas coisas em suas vidas são causadas por seus erros e encarnações anteriores. Fora isso, realmente não chega a ser uma história muito boa.
Eu teria adorado ler a história completa do amor mal-sucedido de Estefânia e Jacques. A autora poderia ter escrito um romance histórico genial, considerando que a família de Jacques (de origem francesa) precisou fugir de seu país de origem quando começava a Revolução Francesa. Eles viveram em Portugal e também no Brasil. Aliás, o ano em que Jacques partiu foi 1808, o mesmo ano em que a família real portuguesa chegava às terras brasileiras. Todos esses fatos, sem sombra de dúvida, teriam rendido um romance impressionante. Sem falar que Jacques era um pianista extremamente talentoso, e viveu na alta sociedade francesa durante a época do Romantismo. Eu teria adorado ler páginas e mais páginas sobre suas composições musicais, e sobre o quanto ele se arrependeu de ter deixado a noiva no Brasil.
Por outro lado, uma outra história poderia ter surgido a partir daí. A moça do espelho poderia ser uma história de suspense ou terror. Ana Maura e Frederico poderiam ser um casal de namorados vivendo juntos e felizes (sem nenhuma complicação aparente), até o dia em que ela recebe a famigerada escrivaninha, contendo em suas gavetas o espelho, o retrato de Jacques, e algumas de suas partituras. O espírito de Estefânia, amargurado, poderia assombrar aqueles objetos, causando complicações na vida de Ana Maura e Frederico. Eu creio que essa também teria sido uma ótima história!
Entendo que a autora queria relatar acontecimentos de acordo com o ponto de vista espírita, tentando mostrar os males causados pelo rancor e pelo apego aos bens materiais. Mas essa realmente não foi a minha melhor leitura. 
Sendo assim, A moça do espelho permanece sendo apenas uma capa bonita na minha estante. Eu recomendo a leitura para quem gosta de romances espíritas, ou para quem tenha ficado curioso com essa resenha. Caso contrário, pode acontecer com você o mesmo que aconteceu comigo: criar expectativas demais e se decepcionar.

Aspectos positivos: linguagem simples e informal; capítulos curtos; explicação de alguns dos fundamentos do espiritismo.
Aspectos negativos: texto enxuto, pouco detalhado; a autora deixou de aproveitar grandes oportunidades para a constituição de uma história melhor.

Por: Lethycia Dias




A Black Friday de 2015 está chegando. Eu me lembro muito bem que no ano passado fiquei muito arrependida de não ter comprado livros nessa época. Eu até tinha dinheiro, mas acabei gastando tudo com outra coisa da qual não me lembro. Por isso, nesse ano acumulei dinheiro durante meses, pensando especificamente nessa ocasião.
Eu nunca comprei livros em grande quantidade. Sempre tive pouco dinheiro para livros, e quando comprava, eram sempre poucos, um ou dois, e olhe lá. E minhas compras aconteciam apenas de vez em quando.
Então estou aqui, com aproximadamente R$ 220,00, e fazendo pesquisas para minhas compras da última sexta-feira de novembro. Dizem que a Black Friday no Brasil é uma grande fraude, dependendo da loja em que você viu aquela "grande oferta". Sim, eu já conheço as recomendações de comprar apenas em sites confiáveis e de permanecer pesquisando o preço de um mesmo produto ao longo do mês, para ter certeza de que está mesmo barato. Estou fazendo isso, e é justamente ao fazer, que estou descobrindo não ser tão fácil assim, ainda mais quando você está tentando satisfazer desejos de consumo acumulados há muito tempo!

Eu não sabia se escrevia um post voltado somente para a Black Friday, ou se recomendações adequadas para grandes compras em geral. Contudo, acabei pensando bastante e percebendo que quero que esse texto atinja o maior número de pessoas, não apenas durante a semana em que foi postado, mas também no próximo mês, no próximo ano, e assim por diante. Por isso, esse texto é sobre fazer compras em grande quantidade em qualquer ocasião.

Escolhendo seus livros para grandes compras


1- Faça uma lista de prioridades:
Eu acredito que o primeiro passo é descobrir quais são realmente aqueles livros que você mais quer. É claro que você muitos. É claro que existem obras que você está esperando há meses para poder ler. É claro que existe um determinado autor que você prefere. Existe também um determinado assunto pelo qual você se interessa muito. E existe uma saga que você quer terminar de ler (ou começar e ler tudo de uma vez só).
Assim que comecei minhas pesquisas, eu percebi essa dificuldade para definir quais eram os livros que eu queria mais do que todos os outros.
Acredite, você vai precisar fazer escolhas, pois seu dinheiro provavelmente não será o bastante para comprar tudo aquilo que você deseja. E para evitar arrependimentos, gastos excessivos e outras frustrações, você vai precisar eliminar todos aqueles cuja necessidade de leitura não é tão "urgente" assim.

Depois de decidir quais são os títulos mais importantes, anote todos!


2- Tenha noção do quanto pode gastar:
Não importa se você trabalha, se recebe mesada dos pais, ou se possui uma grande quantia acumulada. Aquilo que você vai comprar depende, em grande parte, da quantidade de dinheiro que você possui. Afinal, você quer aumentar sua coleção literária, gastando pouco, e de preferência, sem se endividar, não é mesmo?
Então, é preciso fazer avaliações bem sérias. Quanto você possui? Vai pagar em dinheiro? Vai usar cartão de crédito? Está disposto a parcelar o pagamento (sabendo que provavelmente haverá juros)? Isso faz toda a diferença na hora de fazer compras, não importa o que você vai comprar. Então, saiba como fazer esse planejamento. Você não quer terminar o ano no vermelho, não é mesmo?

Calcule quanto você pode gastar.

3- Saiba como reconhecer uma compra vantajosa (ou não):
Lembra do termo Black Fraude? Pois é. Isso não acontece só na última sexta de novembro. Costuma acontecer com diversas "promoções". Para quem compra coisas pela internet, o valor total pode variar muito de acordo com o local onde a pessoa mora. Mesmo que o valor do produto esteja baixo, o frete pode estar muito caro. Vou mostrar para vocês um exemplo:

Preço de compra e frete do livro "Os Miseráveis",
na edição de dois volumes da Editora Cosac Naify, nas Lojas Americanas.
Alguns meses atrás.

Observem que o livro estava com um grande desconto. Eu estava pronta para comprar, quando digitei meu CEP para checar o valor do frete, e levei um susto. O valor do frete, para entrega econômica, equivalia a mais de metade do preço do livro!
Quando postei esse print no grupo Leitores Anônimos, do Facebook, várias pessoas me disseram que onde moravam, o frete jamais atingira valores tão absurdos. Ou seja, a entrega em algumas regiões do país é muito mais barata do que em outras.
O site Submarino também costuma oferecer fretes caros para minha região (moro em Goiânia). Por isso, antes de comprar livros pela internet eu preciso fazer uma comparação bem detalhada no site Buscapé. E mesmo assim, não basta estar barato! Quando comprei o livro Ovelha: Memórias de Um Pastor Gay, fiz essa comparação de preços. Em certo site, o preço era mais baixo. Porém, o frete era caro. Em outro site, onde o livro custava R$ 3,00 a mais, o frete oferecia vantagens, e o valor total era menor do que no outro. Assim, nós vemos que o "mais barato" nem sempre compensa.


Esse foi mais um texto de dicas, baseado nas minhas próprias experiências. Espero que com isso eu tenha conseguido ajudar vocês a pensar um pouco em algumas coisas que ajudam a planejar e fazer uma boa compra. Boa Black Friday e boas compras para todos!

Por: Lethycia Dias

"Não é de hoje que sabemos ser o conto uma das mais difíceis formas de literatura em prosa, devido à habilidade que cobra do autor no trato conciso da narrativa. isso o torna o gênero literário da atualidade. E, em meio a tantos autores insossos, surge-nos Cristiano Deveras, barnasiano contista de primeira linha, e nos brinda com mais uma obra. Cristiano te escrita elegante e de referência fartas. Traz-nos contos com personagens cheias de nuances psicológicas e que prendem nossa atenção em suas situações intrigantes. Numa era que quase endeusa o desleixo vocabular, vemos nos escritos deverianos o caminho de ourives com que trata nosso idioma. E, se alguém pensa que com isso encontrará na obra letras duras de palavras rebuscadas apenas por preciosismos, engana-se. Antes, vemos uma orquestra, na qual a simplicidade do bombo entoa, cúmplice, ao som do piano. Deixo vocês, pois, diante de uma obra que os envolverá com sua verossimilhança, os encantará e os intrigará com suas tramas e deixará, ao vislumbre de suas páginas finais, aquela agonia do fim e aquele desejo esperançoso de mais e mais."

Autor: Cristiano Deveras
Gênero: Contos
Número de páginas: 200
Local e ano de publicação: Goiânia, 2013
Ilustrações: José Carlos Guimarães
Editora: R&F

A incompreensível dor das horas


Logo que terminei Da minha terra à terra, tratei de reler um livro que há muito tempo repousava na minha estante, e que por dois motivos eu precisava muito reler. 1) Foi dado por uma grande amiga que é prima do autor (veio com autógrafo e tudo!); e 2) fazia um bom tempo que eu não lia contos. Além disso, quando li este livro pela primeira vez, mas ou menos dois anos atrás, eu não o compreendi muito bem, e sentia que precisava de uma releitura. Então, aqui estamos nós!
Pois então vamos direto ao ponto!
O Etéreo Ser de Carbono é um dos livros do escritor e poeta goiano Cristiano Deveras. Em vinte e uma narrativas de tamanhos e assuntos variados, ele surpreende. Seus contos giram em torno de personagens com as mais diversas origens e classes sociais, mas todos têm algo em comum: um conflito psicológico que vai se desenvolvendo de maneira sutil, às vezes sendo percebido pelo leitor apenas no último instante.
Um palhaço que leva alegria a todos, mas não é feliz; um homem que sofre por não saber como dizer a uma mulher que a ama; um romance mal-sucedido contado através de cartas; um homem arrependido por beijo; o rapaz cujo coração era de pedra; o homem que, num zoológico, chora abraçado a um leão; o garoto que faz planos cujos fins justificam os meios.
Isso é um pouco do que temos neste livro. Junto a isso, percebemos grande quantidade de referências a literatura, música e história, que denotam a bagagem cultural do autor. Tais referências aparecem de forma explícita, como no caso do primeiro conto, Sinfonia de duas vidas em dó maior, que chega a citar o adjetivo balzaquiana para referir-se a uma personagem; ou mesmo de formas não tão óbvias, como no conto Alten Teufel, que faz uma releitura da popular lenda goiana sobre Bartolomeu Bueno da Silva, o bandeirante chamado de Anhanguera ou "Diabo Velho". Da mesma forma, vemos ainda aparições inusitadas, como as de uma figura bíblica ou de personalidades históricas. A linguagem simples, muitas vezes pontuada de regionalismos ou gírias que se adaptam ao teor da narrativa, torna-se então muito enriquecida. Em alguns momentos, as histórias assumem um tom poético, repleto de lirismo.

"Ninguém conseguia acreditar no que via:
o caboclo montado em uma nuvem, solto no espaço, fazendo rodeio no céu."
Virgílio. Página 124

Algo interessante que deve ser ressaltado a respeito dos contos são as frequentes aparições da expressão "dor das horas". Os personagens de Deveras podem ter diferentes origens e enfrentar também diferentes conflitos. Entretanto, quase todos estão colocados em situações que expõem suas nuances psicológicas, e a expressão aqui citada aparece em vários dos contos.
O etéreo ser de carbono é um daqueles livros que nos exige não apenas maturidade, mas também sensibilidade e conhecimento de outras obras para poder compreender totalmente seu conteúdo. Se dois anos atrás eu não fiz uma boa leitura desses vinte e um contos, hoje eu sinto que melhorei muito. Sou outra pessoa: estou mais madura, possuo mais conhecimentos, modifiquei algumas de minhas opiniões. Isso é frequente nas nossas vidas. Conforme o tempo passa, nós mudamos, e por mais que isso não pareça importante, até mesmo a leitura de um texto ou um livro passa a ter outro significado.
Por ser um livro relativamente curto, a leitura dele pode ser rápida. Eu, por exemplo, levei cerca de uma semana. Entretanto, se um leitor mais atento quiser se aprofundar em cada uma das histórias e fazer pesquisas, talvez seja possível demorar um pouco mais.
Duas vezes premiado (vencedor do Prêmio Bolsa de publicações Hugo de Carvalho Ramos e menção honrosa no Prêmio Lucilo Varejão), Cristiano Deveras é formado em Letras e já possui várias outras publicações. É participante do Bar do Escritor, grupo de discussões literárias que existe dese 2005, criado por Geovane Iemini, e que publicou pela primeira vez em papel no ano de 2007. Aliás, eu possuo uma das antologias deles, que conta com dois textos de Cristiano:

Terceira Dose é uma das publicações do Bar do Escritor.
Nele estão presentes dois contos de Cristiano Deveras.

Este é um livro de grandes possibilidades. Além de oferecer diversas interpretações, nos traz a opção de aprimorar nossos conhecimentos. Eu o recomendo para todos aqueles se julgam sensíveis e maduros, e para quem não tem preguiça de retomar ou terminar uma leitura mal-compreendida.

Aspectos positivos: a grande quantidade de referências enriquece a leitura; adapta-se às diversas realidades do brasileiro, apresentando personagens de diferentes origens: indígenas, nordestinos, moradores de periferias, crianças, jovens, adultos; possui narrativas de grande sensibilidade.
Aspectos negativos: algumas das referências feitas não possuem nota explicativa, o que pode confundir o leitor ou deixá-lo sem entender.

Por: Lethycia Dias

Com o post de hoje, pretendo trazer a notícia de que fechei uma nova parceria para o blog. É a segunda desde que criei o Loucura Por Leituras, e creio que poderá ser muito produtiva para todos. O segundo objetivo do post é fazer a indicação, que não poderia faltar aqui!
Estou falando do blog Check-in Virtual, um blog literário cujo estilo combina muito com o do Loucura Por Leituras, e cuja autora vem interagindo muito por aqui através de comentários.

Página principal do blog.

O Check-in Virtual é mantido por Lívia Santana, uma jovem de 20 anos, moradora de Jundiaí (SP). Lívia declara ser apaixonada pela leitura desde muito criança. É uma jovem inteligente e cheia de opiniões próprias. O CV foi a princípio um blog pessoal, iniciado durante sua adolescência, e que acabou sendo abandonado. Mais tarde, ela optou por retomar o site. A explicação para o motivo do nome, e da decoração da página está presente na aba intitulada "Sobre o Blog".
O blog teve seu início há pouco tempo, tendo seu primeiro post no dia 24 de agosto de 2015. O conteúdo inclui principalmente resenhas e algumas indicações, além de textos alternativos. Lívia possui um projeto chamado "TBR Jar", inspirado no desafio americano To Be Read Jar, de autor não identificado, que ela conheceu em um vídeo no YouTube. A TBR Jar consiste em anotar os nomes dos livros ainda não lidos em pedacinhos de papel e deixá-los dentro de um recipiente. A cada leitura concluída, um novo título é sorteado, e assim a pessoa consegue ler todos os seus livros (e até retomar leituras abandonadas) de forma organizada, e sem escolher alguns títulos em detrimento de outros.
Os textos de Lívia são escritos com clareza e coerência, e sem erros ortográficos aparentes. Ela faz resumos dos livros lidos e inclui suas observações sobre a estrutura do texto, utilizando senso crítico.

Confira alguns dos últimos posts no CV:

Esse era o texto mais recente no momento em que esse post foi escrito.

Uma espécie de texto de indicação.

Eu e Lívia interagimos com frequência por e-mail, ou por comentários nos nossos posts, e a partir de agora passaremos a compartilhar muitas coisas, tanto em nossos blogs, quanto em nossas páginas no Facebook.
Espero que gostem do blog da Lívia, e continuem visitando tanto o Loucura Por Leituras quanto o Check-in Virtual. Agradeço pelas visitas de vocês, e até o próximo post!

Por: Lethycia Dias

"As fotos de Sebastião Salgado são famosas no mundo todo. Suas imagens em preto e branco de trabalhadores e refugiados já ganharam inúmeros prêmios e são reconhecidas pela profunda dignidade que despertam no interlocutor. Em 2013, depois de oito anos de reportagens, Salgado expôs pela primeira vez seu trabalho mais recente, "Gênesis". Em uma jornada fotográfica por lugares intocados, onde o homem convive em harmonia com a natureza, o fotógrafo retratou com brilhantismo único a múltiplas facetas da vida em nosso planeta. Mas a despeito de as imagens de Sebastião Salgado já terem dado a volta ao mundo, sua história pessoal, as raízes políticas, éticas e existenciais de seu engajamento fotográfico permaneciam desconhecidas. Em Da minha terra à terra, é seu talento como narrador que impressiona. Com gentileza e simplicidade comoventes, Salgado relembra histórias de suas fotorreportagens, realizadas em mais de cem países. Nós o acompanhamos desde sua formação como economista até a mudança para a França, onde o fotógrafo mora de 1969 e onde fundou com a mulher, Lélia, a agência Amazonas Images. Em Da minha terra à terra, Salgado fala de suas viagens, de sua família, de seu amor pela fotografia. A verdadeira gênese de sua vida e obra."

Autor: Sebastião Salgado
Gênero: Biografia
Número de páginas: 152
Local e ano de publicação: São Paulo, 2014
Tradução: Julia da Rosa Simões
Editora: Paralela

Uma declaração de amor


Eu sabia pouco ou quase nada sobre Sebastião Salgado, até o dia em que meu namorado precisou ler o livro Da minha terra à terra, para as aulas de fotografia da faculdade. Ele comprou o livro, e conforme avançava na leitura, não parava de compartilhar comigo as coisas incríveis que estava descobrindo sobre esse artista brasileiro que conheceu o mundo todo - e que se fez conhecer por ele. Dessa forma, fiquei naturalmente curiosa, e não deu pra resistir: assim que ele terminou de ler o livro, eu pedi emprestado!
E a leitura me surpreendeu: desde a primeira página, me vi transportada para uma outra realidade. Fui lendo rapidamente, e quando terminei, fiquei com aquele gostinho de "quero mais".
Salgado começa falando um pouco sobre seu projeto Gênesis, no qual fotografou a vida em nosso planeta em lugares que permanecem inalterados, preservados da intervenção humana. Ele nos explica, desde o início, que ser fotógrafo é saber esperar. E, além disso, é preciso conhecer aquilo que se fotografa. Nesse capítulo inicial, ele narra a experiência de fotografar uma tartaruga gigante da ilha Isabela, do arquipélago de Galápagos. É a partir dessa história curiosa que temos a primeira noção de que fotografar não é simplesmente preparar a câmera e apertar o botão. É muito mais do que isso!
Salgado nasceu no interior do Minas Gerais, numa fazenda em que as pessoas tinham tudo aquilo de que necessitavam. Quando precisou viver numa cidade grande, para continuar seus estudos, ele conheceu a pobreza, e deu-se conta das injustiças do mundo. Foi também nessa época que conheceu Lélia, com quem se casou. Por se identificarem com o comunismo, eles precisaram deixar o Brasil durante a ditadura, no ano de 1969. Foram viver na França, como refugiados. Lá, enfrentaram muitas dificuldades, mas trabalharam muito e sempre mantiveram o contato com outros brasileiros, e com refugiados de outros países. Economista, ele caminhava rumo ao doutorado. Ela formou-se em arquitetura. Na época em que trabalhava na Organização Internacional do Café, precisou realizar projetos de desenvolvimento econômico em países da África, e acabou se apaixonando pelo continente. Em 1973, ele decidiu largar a carreira promissora de economista e a vida confortável por uma coisa que o encantava: a fotografia. Sebastião e Lélia tiveram que se esforçar e trabalhar muito duro pelo resto da vida, investindo sempre em novos equipamentos, e a decisão valeu a pena.
No início, ele fotografava de tudo, até que começou a entrelaçar a fotografia com suas ideias políticas e sua preocupação com questões sociais. Fez séries de reportagens mostrando pessoas em seu cotidiano, intituladas "Trabalhadores". Por muito tempo, ele fotografou apenas em preto e branco. Suas fotos, sempre carregadas de muita emoção e significado, são famosas em todo o mundo.

"Fiz essas imagens porque eu tinha uma obrigação moral, ética, de fazê-las.
Alguns me perguntarão: em tais momentos de desespero,
o que é a moral, o que é a ética?"
16 - A morte vista de perto. Página 94

Quanto à estrutura do livro, trata-se de uma leitura muito fácil e prazerosa. Salgado é um homem muito simples, e escreve da mesma forma. Assim, temos uma linguagem adequada para todos os públicos e idades, e tudo é relatado de forma sucinta, sem que haja confusão entre os acontecimentos, os pensamentos e as datas. O livro é organizado em capítulos curtos, com nome e numeração. Dessa forma, a leitura se torna rápida.
Da minha terra à terra é um livro incrível, e diz respeito a muitas coisas que eu acredito, como por exemplo, a decisão de "fazer aquilo que você gosta e não aquilo que dá dinheiro", que foi basicamente uma das convicções que me levaram a cursar Jornalismo. Além de enaltecer durante todo o livro o seu amor pela fotografia, sua paixão por contar histórias feitas a partir de imagens de fração de segundo, Sebastião Salgado ainda dedica um espaço enorme à sua esposa, Lélia. Ela é seu único amor, e também sua maior companheira por toda a vida. O livro inteiro é como uma declaração de amor: à fotografia, e também para ela.
Fiz uma leitura rápida, tanto pela pouca quantidade de páginas, quanto pela linguagem simples. Muitas das histórias compartilhadas por Salgado são impressionantes. Entre elas, posso citar: sua experiência com os índios no Alto Xingu, a visita às minas de ouro da Serra Pelada, a viagem para a Sibéria, num frio entre - 30ºC e - 40ºC, a recuperação de florestas após a criação do Instituto Terra, o terrível genocídio em Ruanda, em 1994. Algumas dessas histórias me surpreenderam por apresentar visões sobre o mundo extremamente sensíveis. Outras, porque eram grandes expressões de sofrimento e crueldade.
Na graduação em Jornalismo, já no primeiro período, recebi conselhos maravilhosos de meus professores. Um desses conselhos era a ideia de que o jornalista nunca deve perder o olhar sensível. Sebastião Salgado é considerado por muitos como um fotojornalista (embora ele mesmo não concorde com isso), e se há uma coisa que o acompanha por toda a sua trajetória, é o olhar sensível. Acredito, aliás, que um bom fotógrafo - assim como um bom jornalista - não deve nunca deixar sua sensibilidade morrer.
Este livro é mais do que uma biografia. Aliás, Salgado nos leva tão dentro de seu pensamento, que quase nos esquecemos de que estamos lendo uma biografia. Eu o recomendo para todos que se interessem por fotografia, jornalismo, causas sociais, para os admiradores de Sebastião Salgado, ou para qualquer pessoa que se interesse a partir da leitura dessa resenha.

Aspecto positivo: linguagem simples, capítulos curtos, descrições e relatos sensíveis.
Aspecto negativo: a presença de termos técnicos da fotografia podem escapar à compreensão de leigos. Entretanto, a compreensão geral do livro não fica prejudicada.

Por: Lethycia Dias

Me lembro de quando meu pai queria me presentear com um leitor digital. Ele tentou me convencer do quanto o leitor digital pode ser vantajoso, porque, afinal, você pode armazenar centenas de livros virtuais, sem ocupar nenhum espaço físico. Leitores digitais costumam ser leves e práticos, fáceis de carregar. É possível ajustar a luz da tela, deixando-a mais brilhante ou mais escura, para não incomodar os olhos. É possível marcar a página em que se parou, aumentar ou diminuir a fonte, sublinhar trechos. Ele fez toda essa propaganda com a intenção de me convencer a parar de comprar livros. Eu não aceitei, por medo de não me adaptar ao dispositivo tecnológico. E foi uma decisão maravilhosa, pois eu jamais conseguiria manter minhas leituras do banco do ônibus se usasse um e-reader.


Eu continuo lendo livros físicos, mas ainda baixo muitos arquivos de texto em pdf, principalmente textos que preciso estudar para as aulas da faculdade. A leitura de todos esses textos (principalmente alguns que são muito longos) melhorou muito no dia em que baixei quase por acaso o Kindle para pc da Amazon. Ele aumenta muito a qualidade de qualquer leitura pelo computador! Vou mostrar para vocês.


Vantagens do Kindle


O Kindle para pc é um programa disponibilizado pela Amazon, para leitura de e-books da loja virtual. É prático e muito fácil de usar. Vou mostrar todos os recursos com uma série de prints.

1- Todos os seus livros num lugar só:
Clicando no botão "Biblioteca", você tem acesso ao local onde ficam armazenados todos os seus livros (ou arquivos de texto) no formato aceito pelo programa. Eles costumam ficar ordenados de acordo com a ordem em que você os adquiriu.

Todos os livros ficam armazenados na Biblioteca.

2- Você destacar trechos:
Muita gente gosta de destacar as frases mais impactantes. No meu caso, as leituras que faço para a faculdade exigem que eu marque os trechos mais importantes. Isso é possível no Kindle, em quatro cores diferentes.

Observe os trechos marcados em rosa, à direita, e a barra em cinza, à esquerda.
As quatro opções de cores para destaque de trechos são: rosa, azul, amarelo e laranja.

3- Dicionário:
Caso haja palavras que você não conhece, não precisa abrir um dicionário virtual, e nem ter um dicionário físico perto do computador. Basta clicar em qualquer palavra, e você verá seu seu significado aparecer na caixa cinza. O programa não oferece significados de expressões, isto é, se você tentar selecionar mais de uma palavra, não poderá obter o significado. Também não há significados para nomes próprios, ou tradução para palavras em outros idiomas.

Selecione uma palavra para consultar seu significado.
Clicando na aba "Mais", é possível fazer consultas no Google e Wikipédia.

4- Pesquisa de palavras:
É possível pesquisar uma ou mais palavras existentes no texto. Desde que tudo esteja escrito corretamente, o programa encontrará todos os trechos em que a palavra ou frase pesquisada aparece. Clicando nos resultados da pesquisa, é possível deslocar-se diretamente até eles.

Observe os destaques feitos pelas setas.

5- Marcar páginas:
Clicando no botão que indica uma fita com duas pontas, você poderá marcar a página em que está. A marcação fica indicada no canto superior direito, e também na barra de navegação na parte de baixo da tela, através de riscos azuis. É possível remover uma marcação já feita, clicando na fita azul.

Repare no botão em formato de fita, na parte superior do menu. A fita no canto superior direito indica a marcação.
A barra azul na parte inferior permite que você se desloque através das partes do livro.
Os riscos azuis são marcações.

6- Edições:
É possível fazer modificações no tamanho da fonte, no número de palavras por página, ou na cor das páginas, Basta clicar no botão com o desenho de dois retângulos lado a lado, indicado as páginas de um livro.

É possível fazer diversos ajustes na aparência do "livro".


Enfim, esses são alguns recursos oferecido pelo Kindle para pc, da Amazon. Como eu disse antes, o programa é simples e prático. Sendo manipulado por alguns minutos, você logo pode aprender essas e outras funções.

Para ler qualquer texto no Kindle:


O Kindle é oficialmente feito para a leitura dos e-books vendidos pela Amazon. Entretanto, é possível usar um programa de conversão de arquivos para mudar o formato de qualquer arquivo de texto, tornando a leitura possível no aplicativo. Este programa se chama Calibre, é também é muito simples. Veja no vídeo abaixo como baixá-lo e utilizá-lo, para que todas as suas leituras no computador tenham maior qualidade.


Onde baixar o programa Calibre:


Esse post foi explicativo e ao mesmo tempo indicativo. Se você gostou do que leu e viu aqui, se inscreva no blog e no canal, para acompanhar todas as novidades.
Espero que o aplicativo facilite suas leituras. Caso você conheça outras funções do Kindle que eu não citei aqui, deixe nos comentários! Eu vou adorar saber, e os outros leitores também!




Talvez você tenha lido o meu último post, onde falei sobre a importância do download gratuito de livros. Se você não leu, essa talvez seja uma boa oportunidade!



Quando escrevi aquele post, eu na verdade estava tentando começar a escrever esse post que você está lendo agora. Precisei interromper o texto que estava criando, porque surgiu a necessidade de explicar algumas para quem acha que baixar de graça é errado. Como eu disse antes, clique no link e leia o texto anterior.
Eu já fui uma leitora sem livros, e houve uma época em que eu só podia ler se pegasse livros emprestados em bibliotecas ou com amigos, até que eu comecei (lentamente) a comprar meus próprios exemplares. naquela época, por necessidade, eu baixava muitos livros em pdf. Às vezes, tinha muita dificuldade de encontrar algumas das coisas que queria, e só sabia de uma coisa: minha vontade de ler era muito grande!
Quem me dera se naquela época nós fôssemos tão conectados quanto somos hoje. Eu estou falando de mais ou menos seis anos atras. A internet não era tão popular quanto hoje no Brasil, e nem era assim tão fácil se comunicar com pessoas que gostavam das mesas coisas que você.
Hoje, eu conheço alguns sites muito legais que teriam facilitado bastante a minha vida naquela época, e que ainda me são úteis hoje em dia. Vou indicar para vocês alguns desses sites:

1- Domínio público:
O Domínio público é um acervo digital disponibilizado pelo governo brasileiro, e contém inúmeras obras em forma de texto, áudio e vídeo. Todo o conteúdo oferecido pelo site caiu em domínio público ou foi cedido por seus autores para distribuição gratuita. Dessa forma, o site é totalmente legal.
Não posso dar informações sobre os arquivos em áudio e vídeo, mas posso dizer que os arquivos de texto, em especial os que são classificados como literatura, são em sua maioria livros considerados como clássicos da literatura mundial, portuguesa e brasileira. Isto significa que lá você provavelmente encontrará A Divina Comédia, Os Lusíadas, A Dama das Camélias, a obra completa de Machado de Assis, e outras leituras no mesmo estilo. Se é isso que você está procurando, fique à vontade e faça a festa!
Dê uma espiadinha na "cara" do site:

Imagem retirada da página principal do site.

2- Le Livros:
O Le Livros talvez seja um dos sites mais famosos de compartilhamento de livros em pdf. Entre os que conheço, foi onde encontrei a maior variedade de obras. Foi lá, por exemplo, que consegui baixar toda a coleção O Tempo e O Vento, do Erico Verissimo, que ainda desejo reler. Mexendo no site, encontrei títulos de Stephen King, Agatha Cristie, Stieg Larsson, Marlus Zusak, Khaled Hosseini, André Vianco, Carina Rissi, Eduardo Sphor, Lygia Fagundes Telles, Carlos Drummond de Andrade, Vinícius de Moraes e muitos outros escritores de diversas nacionalidades.  Os livros ficam separados por assunto, mas se você busca um conteúdo específico, o melhor mesmo é procurar pelo título ou nome do autor, na caixa de pesquisa.


Imagem retirada da página inicial do site.

3- Bibliomania:
O Bibliomania é um blog como esse; aliás, é desenvolvido na plataforma do Blogger. O tipo de livros que se encontra nele são os mais populares, isto é, aqueles conhecidos como "best-seller's", ou que de alguma forma se destacam entre fãs do gênero ao qual pertencem. Dessa forma, no Bibliomania você pode encontrar A Culpa é das Estrelas; Comer, Rezar, Amar; A Menina Que Roubava Livros, O Código da Vinci, etc. No blog ainda é possível pesquisar algum título que você deseja, ou entrar em contato por e-mail, pedindo que compartilhem determinado livro.

Imagem retirada da página inicial do blog.

Esses são três sites que considero legais para baixar livros de forma gratuita. Decidi divulgá-los aqui, para que mais pessoas possam ter acesso aos livros em sua versão digital. Caso você esteja procurando por sites legais, aproveite para visitar esses três! E se você conhece outros sites bons, deixe aqui nos comentários! Eu e os outros leitores vamos adorar!

Por: Lethycia Dias

Observação:
O artigo da Wikipédia denominado como Domínio público, que explica o significado da expressão e explica a questão dos direitos autorais, diz o seguinte:

"Os direitos autorais (ou direitos de autor) duram por setenta anos contados de 1° de janeiro do ano subsequente ao falecimento do autor. Além das obras em que o prazo de proteção aos direitos excedeu, pertencem ao domínio público também: as de autores falecidos que não tenham deixado sucessores; as de autor desconhecido, ressalvada a proteção legal para os conhecimentos étnicos e tradicionais."

Isto significa que os livros e outros tipos de arquivo disponíveis no site Domínio Público são inteiramente legais.




Para quem gosta de ler, mas tem pouco acesso aos livros físicos (seja por falta de bibliotecas públicas na cidade onde mora, ou por ter poucos recursos para comprar os próprios livros) o download de livros é uma opção quase indispensável. Eu já tive poucos (ou quase nenhum) livro na estante, e sei bem como é isso!
E mesmo que você tenha acesso a livros, o download gratuito ainda pode ser muito importante: estudantes universitários precisam ler muito. E não existe livro didático na faculdade, como no Ensino Fundamental e Médio. Para ter acesso aos textos que servirão como material de estudo, as universidades têm as copiadoras, onde tira-se xerox dos textos. E se você precisa economizar dinheiro na faculdade, pode até tentar encontrar o livro na biblioteca, mas caso não o encontre... Sua única opção é recorrer à internet!

Eu sei que muita gente condena a pirataria. Entendo que isso desvaloriza o trabalho dos escritores e também das editoras, mas compreendo que a digitalização é uma das formas de fazer com que livros se tornem acessíveis para muito mais pessoas. Talvez você pense que não, mas ter acesso a livros, no Brasil, não é para todos. Fiz uma breve pesquisa, e acabei descobrindo dados muito interessantes sobre isso.

Segundo o G1, a distribuição de bibliotecas no Brasil é de 1 biblioteca pública para cada 33 mil habitantes. Você pode conferir clicando aqui.

Índice de distribuição de bibliotecas públicas no Brasil.
Imagem retirada do site G1.
Caso necessário, clique na imagem para ampliá-la.

O estudo foi baseado em números do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNPB). Bastou navegar um pouquinho no site do SNPB, para descobrir coisas preocupantes. Cliquei no link do Estado de Goiás (onde vivo), e descobri um número que a princípio não me dizia nada: 252. Conforme fui clicando nos links de outros estados, porém, fui comparando os números, e ficando cada vez mais triste. Enquanto o estado de São Paulo possui 842 bibliotecas públicas, o Rio de Janeiro possui apenas 148; Sergipe possui 80; O Distrito Federal, 31; Roraima possui apenas 16.
Esses números dizem muita coisa, não é? Talvez você goste de ficar criticando as pessoas por causa dos baixos índices de leitura dos brasileiros, assim como o Ministro da Cultura, Juca Ferreira, fez em junho deste ano (consulte matéria do Jornal O Globo). E talvez não faltem livros nem na sua casa, e nem na casa do Ministro. Eu admito, não faltam na minha. Mas será que você (ou o Ministro Juca Ferreira) já se perguntou se todos os brasileiros têm acesso à leitura? Volte aos índices sobre a distribuição de bibliotecas no Brasil, e pense um pouco. Será que todos os brasileiros têm cerca de R$ 30,00 sobrando para comprar um livro por mês? Consulte índices de renda per-capta do brasileiro, e pense. Mas eu vou adiantar a resposta: não. Nem todo brasileiro pode ler tanto quanto eu ou você. E isso é porque nem citei os índices de analfabetismo!

Por causa disso, eu digo que o download gratuito, ainda que considerado desonesto, é uma forma de popularizar a leitura no Brasil. Ok, sei que não são todas as pessoas que possuem acesso à internet nesse Brasil, mas sei que as pessoas que possuem estão livres para baixar livros, e poder lê-los e compartilhá-los à vontade, e isso é incrível!
É claro que seria muito melhor se todas as pessoas pudessem frequentar uma biblioteca pública, ou comprar livros novos e usados em sebos e livrarias, mas ainda estamos longe dessa realidade.
Eu não gosto de pessoas hipócritas, e não quero ser uma delas. Já baixei muitos livros em pdf, e vou continuar baixando, sempre que julgar necessário. Quem é que nunca baixou uma música para ouvir no celular? Pois é. Então não venha reclamar de quem baixa livros. Nas livrarias, eles já são consumidos pelas pessoas que possuem dinheiro, assim como quem pode vai aos shows de artistas e compra seus CD's e DVD's.
E se você leu esse texto inteiro, ou partes dele, e continua achando que eu defendo a pirataria porque acho "legal", volte para a primeira linha e leia novamente. Eu defendo a democratização da leitura, do estudo e da cultura. A pirataria é só uma forma de alcançar isto.

Por: Lethycia Dias

Se você gostou desse texto, pode gostar também de:

Referências bibliográficas:
GLOBO, O. Ministro da Cultura diz que baixo índice de leitura no Brasil é "uma vergonha". Disponível em: <http://oglobo.globo.com/cultura/livros/ministro-da-cultura-diz-que-baixo-indice-de-leitura-no-brasil-uma-vergonha-16606376>. Acesso em: 27/10/2015.
REIS, Thiago. Brasil tem uma biblioteca pública para cada 33 mil habitantes. Disponível em: <http://g1.globo.com/educacao/noticia/2014/11/brasil-tem-uma-biblioteca-publica-para-cada-33-mil-habitantes.html>. Acesso em: 27/10/2015.
SISTEMA NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS. Dados das bibliotecas públicas no Brasil. Disponível em: <http://snbp.culturadigital.br/informacao/dados-das-bibliotecas-publicas/>. Acesso em: 27/10/2015.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...