Confira!




Para quem gosta de ler, mas tem pouco acesso aos livros físicos (seja por falta de bibliotecas públicas na cidade onde mora, ou por ter poucos recursos para comprar os próprios livros) o download de livros é uma opção quase indispensável. Eu já tive poucos (ou quase nenhum) livro na estante, e sei bem como é isso!
E mesmo que você tenha acesso a livros, o download gratuito ainda pode ser muito importante: estudantes universitários precisam ler muito. E não existe livro didático na faculdade, como no Ensino Fundamental e Médio. Para ter acesso aos textos que servirão como material de estudo, as universidades têm as copiadoras, onde tira-se xerox dos textos. E se você precisa economizar dinheiro na faculdade, pode até tentar encontrar o livro na biblioteca, mas caso não o encontre... Sua única opção é recorrer à internet!

Eu sei que muita gente condena a pirataria. Entendo que isso desvaloriza o trabalho dos escritores e também das editoras, mas compreendo que a digitalização é uma das formas de fazer com que livros se tornem acessíveis para muito mais pessoas. Talvez você pense que não, mas ter acesso a livros, no Brasil, não é para todos. Fiz uma breve pesquisa, e acabei descobrindo dados muito interessantes sobre isso.

Segundo o G1, a distribuição de bibliotecas no Brasil é de 1 biblioteca pública para cada 33 mil habitantes. Você pode conferir clicando aqui.

Índice de distribuição de bibliotecas públicas no Brasil.
Imagem retirada do site G1.
Caso necessário, clique na imagem para ampliá-la.

O estudo foi baseado em números do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNPB). Bastou navegar um pouquinho no site do SNPB, para descobrir coisas preocupantes. Cliquei no link do Estado de Goiás (onde vivo), e descobri um número que a princípio não me dizia nada: 252. Conforme fui clicando nos links de outros estados, porém, fui comparando os números, e ficando cada vez mais triste. Enquanto o estado de São Paulo possui 842 bibliotecas públicas, o Rio de Janeiro possui apenas 148; Sergipe possui 80; O Distrito Federal, 31; Roraima possui apenas 16.
Esses números dizem muita coisa, não é? Talvez você goste de ficar criticando as pessoas por causa dos baixos índices de leitura dos brasileiros, assim como o Ministro da Cultura, Juca Ferreira, fez em junho deste ano (consulte matéria do Jornal O Globo). E talvez não faltem livros nem na sua casa, e nem na casa do Ministro. Eu admito, não faltam na minha. Mas será que você (ou o Ministro Juca Ferreira) já se perguntou se todos os brasileiros têm acesso à leitura? Volte aos índices sobre a distribuição de bibliotecas no Brasil, e pense um pouco. Será que todos os brasileiros têm cerca de R$ 30,00 sobrando para comprar um livro por mês? Consulte índices de renda per-capta do brasileiro, e pense. Mas eu vou adiantar a resposta: não. Nem todo brasileiro pode ler tanto quanto eu ou você. E isso é porque nem citei os índices de analfabetismo!

Por causa disso, eu digo que o download gratuito, ainda que considerado desonesto, é uma forma de popularizar a leitura no Brasil. Ok, sei que não são todas as pessoas que possuem acesso à internet nesse Brasil, mas sei que as pessoas que possuem estão livres para baixar livros, e poder lê-los e compartilhá-los à vontade, e isso é incrível!
É claro que seria muito melhor se todas as pessoas pudessem frequentar uma biblioteca pública, ou comprar livros novos e usados em sebos e livrarias, mas ainda estamos longe dessa realidade.
Eu não gosto de pessoas hipócritas, e não quero ser uma delas. Já baixei muitos livros em pdf, e vou continuar baixando, sempre que julgar necessário. Quem é que nunca baixou uma música para ouvir no celular? Pois é. Então não venha reclamar de quem baixa livros. Nas livrarias, eles já são consumidos pelas pessoas que possuem dinheiro, assim como quem pode vai aos shows de artistas e compra seus CD's e DVD's.
E se você leu esse texto inteiro, ou partes dele, e continua achando que eu defendo a pirataria porque acho "legal", volte para a primeira linha e leia novamente. Eu defendo a democratização da leitura, do estudo e da cultura. A pirataria é só uma forma de alcançar isto.

Por: Lethycia Dias

Se você gostou desse texto, pode gostar também de:

Referências bibliográficas:
GLOBO, O. Ministro da Cultura diz que baixo índice de leitura no Brasil é "uma vergonha". Disponível em: <http://oglobo.globo.com/cultura/livros/ministro-da-cultura-diz-que-baixo-indice-de-leitura-no-brasil-uma-vergonha-16606376>. Acesso em: 27/10/2015.
REIS, Thiago. Brasil tem uma biblioteca pública para cada 33 mil habitantes. Disponível em: <http://g1.globo.com/educacao/noticia/2014/11/brasil-tem-uma-biblioteca-publica-para-cada-33-mil-habitantes.html>. Acesso em: 27/10/2015.
SISTEMA NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS. Dados das bibliotecas públicas no Brasil. Disponível em: <http://snbp.culturadigital.br/informacao/dados-das-bibliotecas-publicas/>. Acesso em: 27/10/2015.

4 Comentários

  1. Oi Lethycia, tudo bem?
    Taí um assunto quente, pertinente, no meio dos leitores. E não existe resposta fácil para a questão sobre o download de livros.
    Reconheço os direitos autorais dos autores como uma garantia legítima. Porém, colocando a questão no contexto mais amplo, como você fez muito bem no seu texto, o país carece de bibliotecas e de políticas públicas de acesso ao livro. E você ainda foi muito generosa, porque aqui bons livros estão rondando a média de 50, 60 Reais. Por isso, considero legítimo baixar livros de graça na internet.
    Te confesso que a taxa de bibliotecas públicas no Rio de Janeiro me surpreendeu negativamente. Aqui existe a ideia do Rio como capital cultural do país, cidade-sede da Biblioteca Nacional, entre outros fatores. 148 bibliotecas públicas é ridículo!! E sim, esse número diz muita coisa.
    Eu tenho bastantes livros "físicos" mas baixo muitos ebooks na internet. Antes, por serem livros que ou eram caros, acima da média, ou que eram difíceis de encontrar. Mas depois que eu comprei o leitor de ebooks da Saraiva, eu estou baixando até lançamentos. Peguei gosto pela leitura de livros no Lev (sem abandonar jamais a preferência pelos livros físicos) e acredito que o papel da internet é servir para popularizar a cultura, de preferência gratuitamente.
    Esse é um assunto que eu gosto bastante, mas como já me estendi demais, termino deixando uma dica, para quem não conhece, de site para baixar ebooks novos, lançamentos, clássicos de vários gêneros de graça.: http://lelivros.pink/
    Grande abraço,
    Almir Albuquerque
    Panorâmica Social

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá de novo, Amlir!
      Vejo que está mesmo muito interessado nos textos do blog!
      Esse foi um posicionamento que eu nem sabia que tinha, até que surgiu a necessidade de escrever sobre o assunto - e então tive que pensar de forma profunda para poder me expressar.
      Quando citei o valor de R$ 30,00, estava me baseando no preço médio de livros mais consumidos, como os romances para adolescentes, por exemplo, que sempre estão nas listas de mais vendidos. Nem vamos pensar no preço médio de um romance histórico, ou de um livro de ensaios, por exemplo.
      Também fiquei assustada com o número de bibliotecas públicas no Rio. E me assustei mais ainda com os índices de outros estados. A região do Brasil que se sai melhor é a região Sul (mas creio que nenhum estado ultrapasse o número de São Paulo).
      Confesso que também estou pegando gosto pelos leitores digitais! Eu uso o Kindle no meu computador, que facilita muito a leitura quando você converte PDF's para o formato MOBI. Estou adorando! Mas não dispenso um livro de papel!
      Conheço esse site, inclusive já o usei, pois foi o único lugar em que encontrei O Tempo e O Vento, do Erico Verissimo, para download gratuito.

      Obrigada, e até o próximo post.
      Lethycia Dias

      Excluir
  2. A solução para a pirataria está em serviços de streaming e download como o netflix, spotfy, google play music e google play livros. Uma mensalidade fixa e baixa em troca de um acervo enorme de conteúdo. Se não me engano a Amazon tem um sistema semelhante para livros. Não adianta lutar contra a tendência de baixar músicas e livros. O Spotfy mostra isso na prática cobrando uma mensalidade ridícula pelo acervo que ele disponibiliza. O melhor a se fazer é oferecer benefícios e melhor acessibilidade para quem opta pelos downloads.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcos!
      Os serviços de streaming nem tinham me passado pela cabeça. Spotfy e Netflix fazem muito sucesso, mas ainda sou nova nesse universo, e não sabia que existe um serviço parecido para livros. Vou procurar me informar sobre o google play livros, e talvez posteriormente apresentar o serviço pros leitores do blog.
      Agradeço pela visita e pela sugestão!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...