Confira!


O que essa imagem os diz? Nem é preciso explicar, né? Hoje é o último dia do ano! Por isso, nada de resenha, nada de textos cumpridos! Vou deixar abaixo apenas algumas frases inspiradoras, para que todos nós possamos refletir!

"Não pedi coisas demais para não confundir Deus que à meia-noite de ano novo está tão ocupado" - Clarice Lispector

"Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre" - Carlos Drummond de Andrade

"Ano novo, vida velha. A vida é mais do que calendários, fusos ou órbita gravitacional" - Carlos Heitor Cony


Para completar, vou deixar uma imagem que um amigo compartilhou no Facebook, e que acho que serve de conselho para todos, inclusive para mim!



E por fim, feliz 2015!

Por: Lethycia Dias

Antes da prova


Em 2013, fiz um curso durante aproximadamente dois meses. As aulas aconteciam na terça e na quinta, e eu não faltava nunca. O prédio do curso ficava na Rua 6, no Centro. Mesmo que às vezes fosse cansativo chegar em casa depois de passar um bom tempo no ônibus, eu adorava. Era ótimo sair de casa sozinha, ver várias pessoas que eu sequer conhecia, conversar com o garoto bonito que sentava ao meu lado, andar apressada pelas ruas... E como me apressava! Me sentia como se estivesse sempre atrasada, embora nunca estivesse. Ou talvez só gostasse de andar rápido daquele jeito, desviando de quem vinha no sentido contrário da calçada, como se tivesse algo muito importante a fazer, mais importante que os compromissos de qualquer um que cruzasse meu caminho.
Mas naquele dia não estava alegre. Havia uma prova, e eu não estava preparada. E era importante. O certificado só seria entregue se a nota fosse superior a 7,0. O nervosismo me atormentava. Mas estava cerca de uma hora adiantada. Sem querer ter de ficar esperando por muito tempo, decidi tomar outro caminho. Ao invés de me dirigir à Rua 6, desci a Avenida Goiás, sem pressa. Entrei em uma livraria da qual gostava muito. Era um prédio de fachada verde, com um letreiro bonito. As estantes abarrotadas de livros me faziam entrar ali olhando para todos os lados, sem querer perder nenhum detalhe. Entrei pelo lado da esquerda, e acredito não ter sido vista pelos atendentes do balcão, pois nenhum deles me chamou para perguntar em que poderia me ajudar. Ah, não era necessário! Eu já receba uma grande ajuda!
Andei por entre as muitas prateleiras que ficavam daquele lado. Por trás de uma delas, havia uma mesa redonda com algumas cadeiras, a única da loja. E na estante que ficava encostada na parede, encontrei um exemplar de Harry Potter e o Cálice de Fogo. Eu o puxei lentamente, folheei rapidamente, e logo consegui encontrar uma de minhas partes preferidas. Sentei-me numa das cadeiras, larguei a bolsa em cima da mesa, e fiquei com o livro no colo. Minha respiração havia se acalmado há muito tempo. Nada mais me inquietava. Naquele ambiente agradável, diante do que eu mais gostava, era impossível lembrar a preocupação do curso.
Quando dei por mim, faltavam apenas quinze minutos. Como o tempo passara tão rápido? Podia meu celular estar com o relógio errado? Não, não estava, porque conferi as horas no relógio da livraria. A diversão era boa, mas o dever me chamava. Fechei o livro querido e guardei-o no mesmo lugar, que memória boa tinha! Então peguei a bolsa, guardei o celular no bolso da calça, e saí como havia entrado, sem ser notada por ninguém. Andei com um pouco mais de pressa, indo para leste pela Rua 4, até a segunda esquina, quando então virei na Rua 6. Faltavam poucos minutos. Eu, porém, já não estava ansiosa, ou com medo. Me encontrava completamente tranquila, preparada para a prova, após os minutos passados na livraria. Dirigi-me ao prédio do curso com um sorriso aos colegas que encontrava. Havia uma prova à minha espera, e eu sabia que me sairia muito bem.



Por: Lethycia Dias

Pois é... 2014 está chegando ao fim, e 2015 já está esperando para tomar seu lugar. Com isso, decidi compartilhar com vocês uma (pequenina) parcela da minha lista de desejos literários para o ano que vem. Estou aguardando por promoções on-line, promoções de sebos e livrarias, e enquanto isso, minha wish list vai só crescendo. Será que vou conseguir cumprir a meta? Não sei, mas aí embaixo vão os meus principais pedidos!

1- Trilogia O Século - Ken Follett

Queda de Gigantes, Inverno do Mundo e Eternidade Por Um Fio constituem o primeiro item dessa lista pelo fato de descreverem em seu conjunto um período fascinante da história (apesar de tão recente): O século XX. De 1901 a 2000, a humanidade produziu muito. A tecnologia avançou como nunca. E, além disso, a humanidade teve grandes oportunidades de destruir. Duas guerras que envolveram várias nações, separaram vidas e mudaram a ordem política e social do mundo. Por gostar muito de História, e pelo desejo de compreender os principais acontecimentos deste período de forma diferente daquilo que os livros didáticos nos proporcionam, me sinto quase intimada a lê-los!

2- 1808; 1822, 1889 - Laurentino Gomes


Ainda dentro das obras históricas, estes três livros de Laurentino Gomes conquistaram minha simpatia, em primeiro lugar, pela indicação de um amigo com bom gosto confiável, e em segundo lugar, porque não me interesso somente por história em geral, mas também pela história do Brasil. Muitos não concordam comigo, sei disso. Entretanto, conhecer a história do nosso país é fundamental para podermos compreender as raízes de diversos problemas sociais que ainda hoje nos prejudicam. O que espero com 1808, 1822 e 1889 é poder entender um pouquinho melhor a nossa (complicadíssima) história.


3- O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde

Me condenem por dizer que sou fã de clássicos! Me condenem, também, por ter visto primeiro o filme! Mas vi, praticamente, por "obrigação". Tínhamos que assistir para responder a um questionário da aula de Filosofia, na escola. Já tinha me deparado com o livro na Livraria Cultura, e lido a sinopse, mas até então não havia me interessado. A curiosidade veio com o filme, em que Dorian, um rapaz rico e bonito, vende sua alma ao diabo para obter a juventude eterna. Seu corpo é preservado enquanto seu retrato se deteriora, conforme se entrega a uma vida de prazer e irresponsabilidades. Após assistir ao filme e responder ao questionário, decidi pesquisar sobre o livro, que aborda questões que talvez sempre tenham inquietado a humanidade: a importância extrema que se dá à beleza, à juventude. Embora tenha cerca de 120 anos (foi publicado em 1890), o tema abordado permanece atual!






4- Anna Karenina - Leon Tolstói


Ainda na onda dos clássicos. Eu o conheci através de outra leitura. Em A Última Música, não me recordo se no filme ou no livro, ou se em ambos, há uma citação de Anna Karenina. Não me lembro também das palavras exatas, mas seria algo do tipo: "As famílias felizes parecem-se todas; as famílias infelizes são infelizes cada uma à sua maneira". Não sei se é uma curiosidade estranha querer ler um livro por causa de uma frase. A certeza que tenho é de que desejo lê-lo. Sei pouco a respeito do enredo, mas pelo que conheço do autor, espero por uma abordagem social da Rússia Czarista anterior à Revolução de 1917, e o que pode conter nas entrelinhas: a crítica a respeito as futilidades, as diferenças entre classes sociais, os conflitos políticos ou econômicos, etc. Não pretendo procurar por alguém que já leu, ou ficar pesquisando a sinopse em sites de livrarias. Com Anna Karenina, quero me surpreender!




5- O Reverso da Medalha - Sidney Sheldon


Apresentada ao autor por uma amiga que me emprestou Não Conte A Ninguém, Um Capricho dos Deuses e Anjo da Escuridão, passei a admirar Sidney Sheldon, mesmo tendo lido só uma mínima parte de sua obra! Até onde sei, O Reverso da Medalha traz a saga de uma família que enriqueceu através da exploração de diamantes na África do Sul. Kate Blackwell é a herdeira da companhia fundada pelo pai, Jamie. O que posso esperar dele, me baseando no que observei nos outros livros são um bom mistério, possíveis assassinatos, muito suspense, e a narrativa incrível que me deixará roendo as unhas do início ao fim, cheia de ansiedade para descobrir como a história poderá se desenrolar.






6- Coleção "Cemitério dos Livros Esquecidos" - Carlos Ruiz Zafón


 Li A Sombra do Vento há vários anos, sem saber que mais dois livros o seguiam, e continua sendo, até hoje, uma das minhas melhores leituras. Daniel Sempere, que foi apresentado ao labirinto do Cemitério dos Livros Esquecidos, intrigado pelo anonimato do escritor Julián Carax, que em sua opinião é um gênio da escrita, persegue um mistério pelas ruas de Barcelona: quem anda queimando todos os exemplares já publicados dos livros de Carax, e por que motivo? O Jogo do Anjo e Carlos Ruiz Zafón acompanham Daniel Sempere em novas aventuras. A narrativa impressionante de A Sombra do Vento me fez desejar os dois seguintes quando descobri que existiam!






7- 50 contos de Machado de Assis - selecionados por John Gledson

Fundador da Academia Brasileira de Letras, Machado de Assis é considerado até hoje o maior escritor da literatura brasileira, e não é à toa. Sua obra consegue ser sempre atual, e não é necessário citar seus livros mais conhecidos, como Dom Casmurro e Memórias Póstumas de Brás Cubas. Seus contos são fascinantes. A despeito da linguagem formal já em desuso que pode incomodar muitos leitores modernos (Machado viveu no século XIX, relembrando que a escrita se renova e que novos estilos surgem de acordo com o tempo e com o público-alvo), contos como A Missa do Galo, O Caso da Vara, Noite de Almirante, A Causa Secreta e ainda outros que posso ter lido sem me recordar ampliaram minha admiração pelo mestre brasileiro. Isso, com certeza, é um motivo plausível para querer ler uma seleção de 50 de seus melhores contos.


8- O Senhor dos Aneis - J.R.R. Tolkien


Não há muito a dizer neste tópico. A trilogia de Tonkien é praticamente sagrada para os leitores de fantasia, pelo fato de Tolkien ter influenciado muitos outros escritores do gênero, entre eles J.K. Rowlin e George R.R. Martin. por ser admiradora de muitas obras fantásticas, me sinto excluída do meio por ainda não ter lido a saga d'O Senhor dos Anéis.






9- O Fantasma de Luis Buñuel - Maria José Silveira


A indicação veio do lugar mais inesperado possível. De maio a novembro deste ano, ocupei minhas tardes com um cursinho pré-vestibular, e certo dia, meu professor de Filosofia nos surpreendeu com a indicação dos dois melhores livros que já havia lido. Confesso que não me lembro do outro, mas este não saiu da minha cabeça durante os próximos dias, e estou disposta a persegui-lo por todas as livrarias, sebos e sites que puder. A narrativa acompanha durante vários anos um grupo de amigos que se conheceram na Universidade de Brasília (UNB) e que eram fãs dos filmes de Luis Buñuel. Além da promessa de descrever a Capital Federal em seus primeiros anos, O Fantasma de Luis Buñuel, aparentemente, traz o contexto da ditadura militar que por 21 anos dominou o Brasil, até a redemocratização. Por querer sentir falta de literatura sobre Brasília, e por nunca ter lido nada a respeito da ditadura militar, eu o quero muito!


10 - A Revolução dos Bichos - George Orwell



Uma das leituras que marcou o meu ano de 2014, e que talvez possa entrar para a lista dos melhores da minha vida, foi a clássica distopia 1984, em que Winston Smith, um funcionário do Ministério da Verdade, vive a ausência de liberdade na autoritária Oceania, um Estado com proporções de continente que retrata com brutal realidade a ideia que o autor fazia dos regimes autoritários. Por ter ficado fascinada com 1984, me comprometi a conhecer a obra completa do autor, e para isso, vou começar me desculpando com outro clássico de Orwell, que eu muitas vezes encontrei nas prateleiras de bibliotecas escolares e ignorei. Publicado em 1945, ano em que findava a Segunda Guerra, A Revolução dos Bichos narra insurreição dos animais de uma granja contra seus donos, que ao assumirem o comando, gradativamente, vão se tornando tão tiranos quanto os seres humanos. Talvez não seja o enredo dos sonhos de todo leitor, mas para quem já leu George Orwell, é indispensável conhecer!





É claro que tenho muitos outros desejos, que seriam impossíveis de listar em um post só. Mas creio que estes sejam os mais importantes.

Por: Lethycia Dias

"Quatro anos após derrubar o impiedoso sultão Tipu, o sargento Richard Sharpe é convocado para uma missão ainda mais arriscada: capturar o major William Dodd, traidor do exército britânico. Em troca de fortunas e terras, o desertor se junta às forças mercenárias da Confederação  Mahratta, determinado a expulsar os britânicos do território indiano. Willam só não contava com sir Arthur Wellesley - o futuro duque de Wellington à frente das fileiras e com o sargento Sharpe ainda mais habilidoso com o mosquete e a espada. Para derrotar os inimigos, o exército britânico se envolve na violenta Batalha de Assaye, que entrou para a história dos conflitos bélicos por seu caráter  assimétricos: 5 mil soldados britânicos medindo forças com 50 mil guerreiros indianos."

Autor: Bernard Cornwell
I.S.B.N.: 978-85-01-07062-3

Escrito através de muitas pesquisas, O Triunfo de Sharpe é o segundo  volume da série As Aventuras de Sharpe, que acompanha o protagonista Richard Sharpe por vários países durante as Guerras Napoleônicas. Ainda distante do conflito na Europa, que ocorreu entre 1803 e 1815, esta narrativa de guerra ocorre na Índia, em setembro de 1803, data da Batalha de Assaye, em que de forma surpreendente, o exército britânico, do qual Sharpe fazia parte, venceu uma desvantagem assustadora: seus inimigos possuíam dez vezes mais homens.
A narrativa em terceira pessoa descreve também outros personagens, como o general Arthur Wellesley; o sargento da Companhia das Índias Orientais Anthony Polmann; Simone Joubert, esposa de um oficial europeu do exército mahratta; além do desertor do exército britânico caçado por Sharpe e pelo coronel McCandless, William Dodd.
Sempre levando consigo as joias roubadas do cadáver do Sultão Tipu, morto por Sharpe no livro anterior (O Tigre de Sharpe), o sargento tem um sonho ambicioso, e quase irrealizável: uma promoção a oficial, que só poderia ser comprada ou conquistada por feitos de bravura. Ao mesmo tempo, é também perseguido por um velho inimigo, o sargento Obadiah Hakeswill, um homem invejoso e sem escrúpulos que deseja tomar suas riquezas secretas. Ao contrário do que geralmente se espera em histórias desse tipo, Richard Sharpe nem sempre é honesto, nem sempre é bom. É, pelo contrário, um homem comum, cheio de medos e fraquezas, além de defeitos que são compensados por sua grande habilidade em batalhas.

"Jamais experimentara nada parecido com aquela sensação, que devia ser a loucura da guerra, a sublime insanidade que ofusca o medo, entorpece a dor e conduz um homem ao êxtase."

Esta incrível obra de Bernard Cornwell, pontilhada por momentos de muita tensão e suspense, está recheada de referências históricas, que vão além da própria Batalha de Assaye, como o cerco de Amednuggur. Além do próprio general Arthur Wellesley, outros personagens também existiram fora da literatura, como Colin Campbell, Anthony Polmann, o coronel Gore, o coronel Wallace, o coronel Harness (que realmente estava perdendo sua sanidade) e o tenente William Dodd. Suas trajetórias são descritas de forma sucinta pelo próprio autor no fim do livro, em seu Comentário Histórico. Para quem gosta de narrativas de guerra, ou de histórias de aventura, a partir de agora, O Triunfo de Sharpe tem a obrigação de integrar a lista das próximas leituras!

Antes de mais nada: atenção! Este post pode conter spoilers!




  1. É um livro para descontrair. Caso você esteja lendo muitos livros que sejam "sérios" ou "pesados" demais, daqueles de fazer roer as unhas, e esteja procurando por algo mais leve, que seja divertido, Coração de Tinta é com certeza uma boa pedida!
  2. Por ser narrado, na maior parte do tempo, segundo o ponto de vista de uma criança, é muito agradável para aqueles que têm nostalgia da infância. A edição da Companhia das Letras, com suas ilustrações no fim de cada capítulo, é melhor ainda. Meggie, a principal personagem da história, nem sempre compreende muito bem o mundo dos adultos, o que talvez pode contribuir para que você se lembre de si mesmo quando era criança.
  3. Quem é que não gostaria de conhecer os personagens de seus livros preferidos, ou viver dentro de uma boa história? Isso é possível para Mortimer Folchart, embora seja exatamente este o motivo do maior conflito no livro. Personagens vêm para o mundo real, e pessoas reais são enviadas para o mundo dos livros.
  4. Um vilão incrível! Capricórnio é tão frio e cruel que não conseguimos ter um só sentimento por ele, criando uma relação de amor e ódio. Amor, pelo fato de ser um personagem tão original e tão bem criado. E ódio, pelo fato de ser impressionantemente mau!
  5. Em Coração de Tinta, um verdadeiro amante de livros irá se identificar muito com Mo ou com Meggie, que são dois leitores ávidos. A paixão pelos livros é descrita de modo muito autêntico tanto para o pai, quanto para a filha. Há ainda a tia Elinor, uma colecionadora, mas creio que ela retrata melhor o leitor consumista. Voltando a Mortimer e Meggie, são os dois que melhor representam um bom leitor.
  6. Existem filmes tão bons que, quando assistimos, pensamos: "Deveria existir um livro, só para que eu possa ter mais detalhes". Se você se encantou com o filme estrelado por Brendan Fraser, com certeza irá se encantar mais ainda com a história que o inspirou. É uma aventura simplesmente mágica!
  7. Além de retratar o universo dos leitores, Coração de Tinta nos traz algo que para mim sempre foi motivo de curiosidade: a visão do escritor. Imagine escrever um livro e um dia, de repente, ver-se frente a frente com seus personagens, exatamente como você os imaginou! Parece fantástico, não é mesmo? É é isso que acontece com Fenoglio, que se depara com suas criações em carne e osso, e que desempenha um papel muito importante no fim da história.
  8. Como toda boa história deixa um gostinho de "quero mais", fiquem felizes! Há continuação! Este incrível livro de Cornelia Funke integra a trilogia Mundo de Tinta, sendo seguida por Sangue de Tinta e Morte de Tinta, onde os personagens vivem novas aventuras.
  9. É uma daquelas histórias em que sempre queremos ler "só mais um capítulo". A curiosidade, a narração simples, o apreço pelos personagens ou a simples vontade de avançar farão com que você permaneça virando as páginas, e lendo, lendo, lendo... Até uma força maior obrigá-lo a parar!
  10. Acredito que um leitor deve experimentar de tudo para diversificar sua visão de mundo, conhecer diferentes autores e estilos, e ainda descobrir do que realmente gosta ou não gosta. Portanto, sempre vale a pena arriscar com algo novo!
Portanto, não fique aí parado! Adquira já o seu exemplar de Coração de Tinta, e não leia  em vez disso, devore!

Por: Lethycia Dias

Precisa escrever uma redação? Para a escola? Ou quer apenas conhecer melhor algumas diferentes formas de escrita, a fim de se aprofundar mais? Não sabe diferenciar os tipos de texto? Não se preocupe! Aqui, no Loucura Por Leituras, você fica por dentro dos principais tipos de texto (narrativo, descritivo, informativo, argumentativo, etc), tira suas dúvidas, aprende as principais características de cada um, e treina o suficiente para escrever por conta própria! Periodicamente, estarei postando um gênero novo!

Por: Lethycia Dias

"Há oito anos, enquanto comemoravam o aniversário de seu primeiro beijo, o Dr. David Beck e sua esposa, Elizabeth, sofreram um terrível ataque. Ele foi golpeado e caiu no lago, inconsciente. Ela foi raptada e brutalmente assassinada por um serial killer. O caso volta à tona quando a polícia encontra dois corpos enterrados perto do local do crime, junto com o taco de beisebol usado para nocautear David. Ao mesmo tempo, o médico recebe um misterioso e-mail, que, aparentemente, só pode ter siso enviado por sua esposa. Esses novos fatos fazem ressurgir inúmeras perguntas sem resposta: Como David conseguiu sair do lago? Elizabeth está viva? E, se estiver, de quem era o corpo enterrado oito anos antes? Por que ela demorou tanto para entrar em contato com o marido?"

Autor: Harlan Coben
I.S.B.N.9788599296516

Publicado em 2001 por Harlan Coben, Não conte a ninguém é um eletrizante romance de suspense em que David Beck, o protagonista golpeado pelo destino, se vê numa busca desesperada por respostas para as perguntas despertadas pelo estranho e-mail que só poderia ter sido enviado por sua esposa, supostamente morta há oito anos. Ao mesmo tempo precisa fugir da polícia, e de vários inimigos que parecem persegui-lo.
A leitura é incessante, impulsionada pela narrativa que nos transporta para dentro da trama, veloz e surpreendente como um filme de ação. O autor nos traz um raciocínio rápido, em que cada capítulo propõe uma nova revelação - sem, no entanto, desvendar o mistério por completo, que só é compreendido nas últimas páginas.

"Parecia um sussurro sombrio ao vento. Ou talvez um frio na espinha. Alguma coisa. Uma canção etérea que apenas Elizabeth e eu podíamos ouvir. Uma tensão no ar. Alguma premonição."

Alternando entre capítulos em primeira pessoa, com a visão do Dr. Beck, e capítulos em terceira pessoa, que acompanham outros personagens, Não conte a ninguém nos leva a uma leitura quase faminta, em que a ânsia de descobrir o que há por trás de tantos segredos torna impossível largá-lo!


A imagem acima fala por si mesma, não acham? Loucura Por Leituras é o espaço perfeito para você que não apenas ama livros, mas que também sente a necessidade de compartilhar o que sabe e buscar por algo mais, Aqui você não encontrará somente resenhas. Um espaço interativo, com dicas de escrita, ideias para marcadores de página, organização e conservação de livros, análises literárias, descrição dos principais estilos literários, etc.

Por: Lethycia Dias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...