Confira!

Após a descrição de todos os outros gêneros narrativos, chegamos enfim ao último, e mais conhecido de todos, o Romance.




Afirma-se que Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes (1547-1616) teria sido o que deu origem ao romance moderno, visto que o gênero predominante na época, a epopeia, teria seu fim a partir do século XVIII, quando ocorreu a Revolução Industrial. Também por isso, o filósofo Hegel considerou o romance como a epopeia burguesa moderna.


Com Dom Quixote de La Mancha, Cervantes teria originado o romance moderno.

Ao contrário da definição que se atribui ao gênero do cinema, o Romance não se trata de uma história de amor. O nome (do latim romanice: em língua romântica) deriva do movimento literário Romantismo, típico do século XIX, época em que este tipo de narrativa tornou-se habitual. Entretanto, suas reais características, como a da descrição minuciosa, está muito mais relacionadas ao Realismo, que surgiu no fim do mesmo século. Pode-se resumir o romance, simplesmente, numa narrativa em prosa - isto é, que não está organizada em versos.
Entretanto, o que o diferencia de outras narrativas em prosa, como o conto e a novela? Os três podem parecer muito semelhantes, mas quando entramos em detalhes, percebemos as diferenças entre cada um.

As características do Romance
Como todo texto típico do gênero narrativo, possui um narrador, personagens, um tempo, um local e um enredo. Diferente da novela e do conto, porém, o número de personagens é grande, o tempo da narrativa pode ser estender, assim como esta pode acontecer em vários locais diferentes, ao mesmo tempo. Dessa forma, o enredo constitui vários núcleos diferentes de personagens, que podem estar separados por tempo e lugar. Consequentemente, o Romance será constituído de vários clímax, enquanto o conto possui apenas um, e a novela é constituída de ações sequenciais.
Podemos ilustrar essa diferença na seguinte imagem:


(Clique na imagem para ampliar)
O conto, a crônica e a fábula possuem apenas um clímax, que será a parte mais importante da narrativa.
A novela pode possuir mais de um, porém será constituído por ações sequenciais.
Já o romance, possui diversos clímax, divididos entre os vários núcleos de personagens.

Caso queira tirar mais dúvidas sobre os demais gêneros narrativos, visite outros textos do blog:

Além disso, outras características do Romance seriam a narrativa longa e complexa, e a grande importância dada aos diálogos e descrições.

Os tipos de Romance
Por ser um gênero mais complexo e uma narrativa mai longa, o Romance possibilita uma grande variedade de textos. Podem existir romances de aventura, romances de ficção científica, romances de fantasia, e muitos outros. Foram definidas algumas classificações como padrão de diferença:
  • Romance Histórico: destaca costumes de outras épocas, misturando fatos históricos comprovados e ficção. Exemplo: Os Pilares da Terra, de Ken Follett;
  • Romance Sentimental: dá importância a aspectos introspectivos dos personagens. Costuma ter final trágico. Exemplo: O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë;
  • Romance de Cavalaria: segue os ideais dos cavaleiros medievais, dando grande importância à aventura e aos feitos heroicos. Costuma ter finais felizes. Exemplo: o próprio Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes;
  • Romance Realista: traz temas influenciados pelo cientificismo do século XIX, e tem como principal foco o homem e suas imperfeições (o materialismo, a traição, defeitos de caráter e personalidade). Utiliza seus personagens para fazer críticas sociais. Exemplo: O Cortiço, de Aluísio Azevedo;
  • Romante Naturalista: difere do Realismo apenas quanto à abordagem das caraterísticas dos personagens, cujas ações são explicadas de acordo com aspectos patológicos, sendo atribuídas a eles características animalescas. Exemplo: O Mulato, de Aluísio Azevedo.
Ainda há algumas subdivisões entre estas, como o romance indianista e o urbano, que fizeram oposição dentro do Romantismo Brasileiro, ou o romance regional, que destacou-se na segunda geração do Modernismo.
Os romances contemporâneos já não seguem as classificações dos antigos movimentos literários, e por isto, é muito difícil classificá-los, sendo possível encontrar desde narrativas intimistas, até criações de fantasia e ficção, como Harry Potter, ou distopias, que se popularizaram muito nos últimos anos com os best-seller's  Jogos Vorazes e Divergente.


Por: Lethycia Dias
Fonte de pesquisa:

Deixe um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...