Confira!


Quem mais aqui sentiu falta da coluna Conhecendo minha estante? Eu senti! Foi por isso que nos últimos dias tratei de ir fotografando mais um livro para mostrar a vocês, e aqui está o post.
Para quem ainda não sabe, Conhecendo minha estante é uma coluna criada há alguns meses aqui no blog, na qual eu falo sobre algumas peculiaridades em livros que possuo. Isso quer dizer que vou contar para vocês a minha história com determinados livros, sem levar muito em conta o conteúdo deles.
A ideia é ser uma coluna leve e divertida, com várias fotos e pouco texto, Para entender melhor, visite os posts antigos:


E agora, vamos ao livro de hoje, que foi um dos primeiros da minha coleção: Não conte a ninguém, de Harlan Coben.


"Em uma sentada"


A última vez que viajei de verdade foi há mais ou menos uns quatro anos. Foi uma espécie de excursão, em um ônibus, com mais ou menos vinte passageiros. Durante a viagem, em determinado momento vi que a passageira do banco à minha esquerda e à frente estava com um livro no colo. Era um livro de capa muito bonita e chamativa, e não consegui me conter: perguntei a ela se podia dar uma olhada no livro.

Repare na beleza da capa, dos detalhes e variações de cores.

Enquanto manuseava o livro da moça cujo nome nunca cheguei a saber, acabei lendo o resumo e as primeiras páginas. Era a história de David Beck, um homem que havia perdido a esposa de maneira trágica e que, oito anos depois, recebia um e-mail misterioso que supostamente só poderia ter sido escrito por sua esposa. A partir dali, Beck passa a suspeitar (e de certa forma, desejar) que talvez ela não esteja morta.

Fotografei o livro em frente à tela do computador,
para marcar a chegada desse e-mail emblemático.

De uma hora pra outra, Beck era suspeito do assassinato de sua amada Elizabeth, e precisava fugir do FBI. Aquele enredo me pegou. Os capítulos curtos, a linguagem simples e a rapidez com que os acontecimentos se desenrolavam me fez querer continuar lendo mais e mais, e eu simplesmente não conseguia parar. Então, continuei lendo. Em algum momento e moça deve ter olhado para trás e notado minha concentração, porque não me pediu para devolver o livro.

"Quando estávamos com 12 anos e finalmente tivemos coragem de declarar nosso amor,
ela cheirava maravilhosamente a cabelo lavado e pirulito de morango".

Acontece que passei a tarde inteira com o livro da moça, enquanto o motorista da excursão nos levava ao nosso destino. A minha curiosidade em descobrir mais sobre aquela história era tão grande, que eu apenas avançava, e quando paramos no estacionamento da pousada, já no fim daquele dia, eu havia chegado ao capítulo 31, na página 159. Faltavam apenas 100 páginas para terminar, o que significa que li o livro quase inteiro "em uma sentada". Mas tive que devolvê-lo à sua dona, e infelizmente, levei várias semanas para poder retomar minha leitura, porque nunca mais tive coragem de falar com ela para pedir o livro emprestado de novo.


A viagem acabou. Fui passar o fim das minhas férias com meu pai, completamente esquecida do livro. Foi quando ele me levou de volta a Goiânia que Não conte a ninguém voltou a ter importância para mim, porque quando passamos pelo Portal Shopping, na região Norte da cidade, encontramos uma feira do livro. Era tudo que eu precisava! Percorrendo os títulos em promoção, achei um exemplar do livro que eu começara a ler algum tempo antes, que nunca pude terminar. E depois de pedir muito, meu pai o comprou para mim.


Então, eu finalmente podia conhecer o fim da história de David e Elizabeth. É claro que voltei ao início, sentindo de novo todas as emoções da primeira vez. Posso dizer que o final da história me surpreendeu muito. Mas o que eu realmente nunca esqueci foi a peculiaridade daquele momento quando perguntei à moça do ônibus: "Posso ver seu livro?".


Enfim, o objetivo desse post foi de compartilhar essa história divertida. Não sei se a moça achou ruim ou não eu ter pegado o livro dela e demorado a tarde inteira "dando uma olhadinha", mas sei que se não fosse por isso, eu não teria conhecido esse livro maravilhoso e o escritor incrível que é o Harlan Coben. E tenho certeza de que muitos de vocês já tiveram vontade de cutucar aquela pessoa do ônibus para saber que livro ela tinha nas mãos!

Caso você tenha se interessado pelo livro, pode comprá-lo abaixo:


E então, o que acharam? Gostaram da foto? Se divertiram com a história? Ficaram curiosos com o livro? Não deixem de comentar!

Por: Lethycia Dias

10 Comentários

  1. quero muito ler esse livro e ja tenho hahaha
    mas vivo adiando a leitura e passando outros na frente dele O.o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deixe de ler, Clayci, ele é muito bom e o final é surpreendente! Eu gostei tanto, que morro de vontade de ler outros livros do autor, mas nunca compro um... :/

      Excluir
  2. Ahhh adorei!Já tive muita vontade de ter a mesma atitude que a sua, mas como sou muito tímida, deixo sempre para lá kk Quem sabe um dia né?

    Beijos, parabéns pela escrita e pela coragem! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, essa foi a única vez que tive coragem!
      É claro que numa "viagem" comum de ônibus, não dá pra fazer isso, então eu me esforço pra tentar ver a capa, ou no máximo pergunto pra pessoa qual o título e o autor, caso consiga criar coragem, porque sou bem tímida! kkkk
      Muito obrigada pelo elogio e por esse comentário fofo! :)

      Excluir
  3. Ainda não li, mas o livro parece ser o máximo!
    Beijos. http://coquetelfem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é sim! A história é do tipo que prende, que você não consegue largar, e no final tem uma reviravolta que ninguém imagina!

      Excluir
  4. Meu Deus, que cara de pau!! Eu também li este livro em uma sentada, na casa da minha tia no Recife. Entre um passeio e outro, devorei o livro! Mas no caso eu já conhecia o autor. Veja o filme, é muito bom também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha, eu não sei o que deu em mim pra fazer aquilo! Acho que era mesmo muita curiosidade com o livro! E também, acho que a moça foi gentil demais, uma outra pessoa podia ter pedido pra devolver, e com razão! kkkkk
      Toda vez que vejo algum livro desse autor, eu lembro de você, sei que adora a escrita dele. Ainda tenho planos de ler outros...

      Excluir
  5. Oh, my God!

    Adorei essa coluna! Ela é sensacional. A linguagem dinâmica, com as fotos e este conto torna o post muito bom. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucas! Eu também adoro a coluna, é um jeito de "descansar" das resenhas, que são textos bem compridos, e ainda me divertir contando histórias minhas e fazendo fotos dos meus livros. Muito obrigada!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...