Confira!

"Em 1919 a editora londrina G. Harrap & Co. lançou uma antologia de contos de Edgar Allan Poe, que àquela altura já era reconhecido como o pai das histórias de suspense e mistério. A edição, porém, não se limitava a reproduzir as narrativas: luxuosa, ela foi ilustrada pelo irlandês Harry Clarke (1889-1931). É exatamente essa edição que o selo Tordesilhas lança no Brasil, mas com um precioso acréscimo: posfácio de Charles Baudelaire (1821-1867), primeiro tradutor de Poe para o francês e a reconhecer a genialidade do escritor norte-americano."
"1917. O exímio artista irlandês Harry Clarke se encarrega de um dos trabalhos que determinariam sua fama: a ilustração de Contos de imaginação e mistério. Preparada pela editora Harrap e publicada em Londres em 1919, a edição foi reconhecida imediatamente como uma das joias bibliográficas das época. Desde então, os desenhos de Clarke continuam exercendo um estranho magnetismo, fruto de uma bela e trabalhosa execução que honrou as histórias sublimes que a inspiraram. Essa edição lendária é retomada aqui com o prefácio de Charles Baudelaire sobre o autor."

Autor: Edgar Allan Poe
Gênero: Contos
Número de páginas: 423
Local e data de publicação: São Paulo, 2012
Tradução: Cássio de Arantes Leite
Ilustrações: Harry Clarke
Editora: Tordesilhas


Sombrio, sangrento e mórbido


Deve fazer mais ou menos um ano que descobri por acaso este livro. Creio que isso tenha acontecido enquanto eu passeava por sites de livrarias, porque não me lembro de ter lido ou assistido nenhuma resenha dele. Mas sei que desde quando descobri esse livro, fiquei fascinada por ele: um livro de Edgar Allan Poe, em capa dura, com ilustrações. Antes mesmo de ler Histórias Extreordinárias, eu já conhecia um ou outro conto dele, e aquela era minha chance de conhecê-lo melhor.
Há uns dois meses, eu finalmente tive a minha chance de comprar este livro incrível, depois de passar muito tempo esperando por uma promoção que valesse a pena. Quando ele chegou aqui em casa, fiquei morrendo de vontade de ler imediatamente, mas acabei segurando essa leitura para agora, como o meu presente de Halloween para vocês. Então, aproveitem a resenha!
Contos de imaginação e mistério é uma antologia de contos de Edgar Allan Poe que foi organizada entre 1917 e 1919 pela editora inglesa Harrap, e contou com as ilustrações de Harry Clarke, um famoso artista de vitrais da época. Em 2012, a Editora Tordesilhas, que é um selo da Alaúde Editorial, trouxe este livro para o Brasil. Essa edição brasileira conta com as ilustrações originais de Clarke e com um prefácio escrito por Charles Baudelaire, publicado originalmente em uma antologia de contos de Poe traduzida por Baudelaire em 1857, chamada Novas histórias extraordinárias.
O livro reúne vinte e duas histórias escritas por Poe, incluindo algumas das mais conhecidas e outras nem tão célebres assim. Entre esses contos mais consagrados, estão vários que eu já conhecia, como: O gato preto, O poço e pêndulo, O coração denunciador, O barril de amontillado, A máscara da Morte Vermelha, O enterro prematuro, MorelaBerenice, A queda da Casa de Usher, O escaravelho de ouro, e Os assassinatos da Rue Morgue [Os títulos linkados já foram resenhados para o desafio 12 meses de Poe]. Também estão aqui alguns contos menos conhecidos de Poe (alguns dos quais eu nunca tinha ouvido falar). Posso listar: William WilsonManuscrito encontrado numa garrafa, Uma descida ao Maelström, O encontro marcadoLigeia, O colóquio de Monos e Una, Silêncio - Uma fábula, O Rei Peste e Leonizando.
Não há uma ordem clara de organização dos contos, mas cada um é acompanhado por uma das ilustrações de Harry Clarke, que são riquíssimas. Cada ilustração eterniza um momento de alguma das histórias, e como se pode esperar, reproduzem o clima pesado e macabro que conhecemos da obra de Poe.

Imagem compartilhada no meu Instagram durante a leitura.
Visite @lethyd ou @loucuraporleituras e acompanhe!

"Mesmo para os irremediavelmente perdidos, para quem vida e morte são igualmente pilhérias,
há assuntos sobre os quais nenhuma pilhéria pode ser feita."
A Máscara da Morte Vermelha - Página 147

Vocês já devem ter adivinhado que o livro me agradou muito. É meio difícil iniciar minhas observações críticas sobre a leitura, mas acredito que devo começar pela tradução. Há traduções e traduções. Quando se trata de escritores que viveram há muito tempo (não só Poe, mas outros que viveram muito antes, como Shakespeare, Cervantes, Dante ou mesmo Homero), há sempre uma infinidade de edições de suas obras, traduzidas por inúmeras pessoas. Por isso é normal que, ao pesquisar contos de Poe, você encontre variações nos títulos: O coração delator também pode ser chamado denunciador ou revelador. Da mesma forma, A máscara da Morte Rubra (que é como eu conheço o conto) neste livro é Vermelha. Nas notas do livro, há uma explicação sobre Leonizando, que, ao contrário das outras histórias, costuma sofrer grandes variações em seu título.
A linguagem é bastante formal e essa edição conserva muitas frases e expressões pouco usadas hoje em dia, que exigem consulta ao dicionário. Além disso, Poe costumava frases longas, muitas vezes intercaladas com travessões, o que resultava em grandes parágrafos. Tudo isso vai exigir uma grande atenção do leitor. Confesso que precisei ler o conto O encontro marcado duas vezes para poder entender, e talvez isso também aconteça com você. Também existem muitas palavras e expressões em outros idiomas, que são explicadas nas notas da tradução. Estas, aliás, são muito bem feitas.
Um aspecto muito importante a ser ressaltado é quanto à diversidade dos contos selecionados para o livro. Não só em relação ao fato de serem mais ou menos conhecidos, mas quanto ao gênero dessas histórias. O que quero dizer com isso é que Poe não escreveu apenas contos de horror e terror. Ele é conhecido por ter criado as histórias de detetive modernas, e foi uma grande influência para Arthur Conan Doyle e Agatha Christie. Contos de imaginação de mistério, portanto, trás algumas histórias um tanto diferenciadas. Em Uma descida no Maelström, temos o relato de um pescador que sobreviveu a uma terrível tempestade em águas extremamente perigosas; Em O escaravelho de ouro, temos uma história de caça do tesouro; O colóquio de Monos e Una Silêncio - Uma fábula giram em torno de temas um pouco místicos; Os assassinatos da Rue Morgue e O mistério de Marie Roget são histórias de detetive, com o célebre personagem Auguste Dupin. E por fim, Leonizando é uma sátira, e há indícios de que seja referente a um contemporâneo de Poe.
Gostei de ter visto essa variedade entre os contos escolhidos, o que me possibilitou perceber que Poe experimentou criar coisas diferentes além dos temas que explorava com frequência. Não pude entender muito bem O colóquio de Monos e Una, nem Silêncio - Uma fábula e nem Leonizando, mas fiquei fascinada por pelas duas histórias com a participação de Dupin. O detetive de Poe é extremamente perspicaz, e não me admira saber que o criador de Sherlock Holmes foi um leitor de Edgar Allan Poe.
Quanto ao livro em si, preciso dizer que é uma obra de arte. As ilustrações de Harry Clarke são riquíssimas, e conseguem passar o sentimento de assombro, angústia, opressão, tristeza ou horror das histórias às quais se referem. A edição do livro, em capa dura, é muito bonita e tem uma grande vantagem: a de ser leve, apesar do tamanho. Leitores que carregam seus livros na mochila ou na bolsa vão me entender. Acredito que essa leveza seja por causa do tipo papel, que é amarelado, fino e muito cheiroso. A capa do livro na verdade é completamente preta, com texto branco. O livro vem envolto em uma jacket com uma das ilustrações de Clarke.

Resolvi puxar um pouco a jacket para mostrar a verdadeira capa do livro.

A edição me agradou muito e a leitura me surpreendeu bastante no que diz respeito aos contos que eu ainda não conhecia. Minhas únicas queixas são em relação ao fato de as notas da tradução terem sido colocadas no fim do livro, o que me incomoda um pouco. Sempre prefiro notas de rodapé.

Avaliação geral:



Onde comprar:

Aspectos positivos: a antologia reúne diversidade entre as histórias escritas por Poe, com contos mais ou menos conhecidos e variedade de temáticas; estão incluídas as ilustrações de Harry Clarke de 1917 e o prefácio de Charles Baudelaire escrito 1857; é um livro extremamente bonito e muito leve, a despeito da capa dura e da quantidade de páginas.
Aspectos negativos: as notas da tradução foram colocadas no fim do livro, o que pode incomodar alguns leitores.

Por: Lethycia Dias

6 Comentários

  1. Que edição maravilhosa! Estou namorando faz tempo, esperando uma promoção para levar para casa! :D

    Uma coisa que você pontuou que também me incomoda bastante são as notas no final do livro... estou lendo um livro super pesado agora (Villette, de Charlotte Bronte) que me cansa de tanto ficar virando no final... São muitas expressões em francês então acho bem chato ficar indo e voltando. Não deixo nem deixaria a leitura por isso, mas prefiro nota de rodapé.

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa edição merece que a gente fique monitorando os sites das livrarias! Eu só comprei mesmo depois de ter achado uma promoção bem vantajosa, porque ele costuma ser caro...
      Ah, eu sempre observo isso em livros assim mais complicados que precisam de notas. Nesse aqui, a primeira coisa que fiz foi colocar um post-it na página das notas, porque sabia que estaria O TEMPO TODO indo lá conferir alguma coisa, e não me enganei. Acho que os editores precisam pensar nisso... De qualquer forma a pessoa vai ter que interromper a leitura pra poder olhar a nota; então melhor que seja na mesma página, né?

      Excluir
  2. Nossa, já quero haahhha!
    Eu achava que a capa era essa mesmo. Agora fiquei no dilema entre gostar mais do livro com ou sem a jacket hahah
    Adorei a resenha. Estou amando Poe e quero investir em mais livros dele em breve. Você anda me deixando curiosa com os 12 meses de Poe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha!
      Eu fui pega de surpresa pela jacket. Nunca assisti nenhuma resenha em vídeo do livro e também nunca vi ninguém lendo, então eu fui pela de surpresa quando o meu chegou aqui em casa! Apesar de achar a jacket muito bonita, eu li ele inteiro sem ela, porque fiquei com medo de amassar, sujar ou estragar. Acabei gostando bastante da capa preta, acho que combina com o conjunto kkk

      Excluir
  3. Quero tanto comprar esse livro, ele é belíssimo. E super concordo com você quanto as notas, odeio quando são no final do livro, interrompe muito a leitura.
    Adorei sua resenha, ela foi bem completa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deixe de aproveitar quando encontrar alguma promoção vantajosa, vale muito a pena comprar!
      Muito obrigada, fico feliz que tenha gostado! :)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...