Confira!

Coisas chatas na blogosfera

O post de hoje pode ser compreendido como uma lista irônica, um protesto de uma pessoa que já perdeu a paciência há tempos ou um simples desabafo. Ou tudo isso ao mesmo tempo. Foi escrito depois de muita reflexão e exigiu um pouco de coragem para falar do que me incomoda. Mas enfim, estou no meu blog e aqui eu posso postar sobre o que eu quiser. Não vou me autocensurar e deixar um assunto tão importante de lado.
A blogosfera nos oferece muitas coisas legais, desde o fato de podermos aprender um monte de coisas interessantes e práticas para nossas vidas acompanhando outros blogs, até por termos a chance de fazermos algumas amizades realmente boas. Mas outros blogueiros às vezes conseguem tirar a gente do sério, com atitudes pouco profissionais, insistentes, irritantes e imaturas.
Depois de dois anos como blogueira, decidi falar um pouco sobre certas atitudes e comportamentos que não são nem um pouco legais e que muita gente comete sem saber o quanto está sendo inconveniente. Continue lendo para saber mais!


Coisas irritantes no universo dos blogs


O post de hoje é importante de duas formas: a primeira, é que se você, assim como eu, já está cansada(o) de tudo que vou listar abaixo, vai saber que não está sozinha(o) e que você não é a(o) única(o) a querer uma blogosfera mais saudável, madura e profissional. A segunda é que se você pratica alguma dessas coisas, essa é a chance de saber que sua atitude não é muito legal e pode afastar outras pessoas. É uma chance de refletir e melhorar!

1- SPAM: Ah, o famigerado SPAM! Sabe por que todo servidor de e-mails tem a opção de marcar certas mensagens como spam e automaticamente bloqueá-las? Porque ninguém aguenta receber coisas (geralmente divulgação) sem ter solicitado!
O spam costuma acontecer em grupos de divulgação de blogueiros, principalmente no Facebook. Geralmente, é assim: você divulga o seu post, e alguns minutos depois recebe uma notificação de comentário. Fica empolgada(o) pensando ser uma coisa relevante, e de repente se depara com alguém dizendo: "Visita também o meu post/blog/canal/página!". Você rola um pouco a página e descobre que a pessoa está copiando e colando o mesmo comentário em todos os posts anteriores do grupo, e que ela simplesmente não está lendo nada.
Isso é totalmente desestimulante. Eu já bloqueei várias pessoas devido a isso e cheguei a sair de muitos grupos desorganizados para evitar o estresse. Prefiro divulgar em grupos com regras organizadas e pessoas comprometidas.
Como se não bastasse isso acontecer nos grupos do Facebook, algumas pessoas têm a audácia de fazer também em contatos pessoais. Um garoto que participa de um grupo de ajuda no WhatsApp me chamou pelo privado depois de eu ter dado uma dica para ele.


Sim, a pessoa teve a audácia de me chamar pelo privado, sendo que nunca tínhamos conversado em particular! Eu apenas ignorei solenemente e bloqueei.
O engraçado é que quem faz spam já começa o texto com "Desculpa incomodar, mas...". Ainda bem que a pessoa sabe que está incomodando, né? Cadê o óleo de peroba pra passar nessas caras de pau?


2- Trocas de curtidas, seguidores, comentários ou seja lá o que for: Muitos blogueiros e youtuber's são adeptos das trocas. Eu pratiquei isso nos meus primeiros tempos, mas logo aprendi que não era uma coisa muito boa. Essas pessoas só vinham me seguir ou curtir minha página porque esperavam receber a mesma coisa de volta, e nenhuma delas acompanhava realmente meus posts. A pessoa curtia minha página no Facebook, mas não curtia as coisas que eu postava, não compartilhava, não visitava o blog. Era só um número sem significado. Uma estatística falsa.


Eu não quero isso. Quero seguidores e leitores realmente interessados no que eu posto. Pessoas que saibam que segunda, quarta e sexta tem post novo por aqui, e que fiquem esperando por isso. Que vejam um spoiler do próximo post nas redes sociais e venham ler quando souberem que o texto foi publicado. Que façam comentários relevantes, espontâneos e capazes de colaborar para uma discussão saudável. Que leiam, lembrem de alguém que conhecem, e compartilhem com a pessoa!
Na maioria das vezes que uma pessoa me pede para curtir a página dela, eu nem me dou o trabalho de responder. Às vezes, eu só digo: "Não tenho interesse em troca de seguidores". Rápida e seca. Não gosto disso, e não aceito me submeter. Às vezes alguém vem discutir. Ora, eu não sou obrigada a nada! Curto uma página ou sigo e acompanho um blog quando gosto (e se eu gosto, estou sempre lá dando minha contribuição!). Da mesma forma, ninguém é obrigado a seguir meu blog ou curtir minha página. Que venham fazer isso só se gostarem do conteúdo.
É claro que quem gosta da troca de seguidores pode fazer isso, mas... Que faça com quem também tem interesse nisso. Existem um monte de grupos voltados exclusivamente para trocas. Outros grupos costumam ter um post fixo só pra isso. Então, pra quê incomodar o coleguinha que você nem sabe se está interessado?


3- Comentários "automáticos": Outra coisa muito desestimulante e que todos os dias faz a gente se perguntar por que passa tanto tempo elaborando posts, fazendo fotos, revisando e divulgando. Às vezes você vê que recebeu um comentário novo, e vai toda empolgada pra ler e responder, e de repente se depara com um curto e insignificante "AMEI!".
Eu já sentia isso muito antes de ter um blog, num período obscuro do meu passado, quando eu escrevia fanctions. Eu me dedicava muito na escrita das minhas histórias, preparava cada capítulo durante dias e ficava muito triste com comentários assim, sendo que quando eu lia as fanfics de outras pessoas e sentia a necessidade de comentar, escrevia verdadeiros textões, dizendo o quanto eu tinha esperado por aquele capítulo, o que eu senti enquanto lia, como achei certa parte engraçada ou emocionante, e como eu tinha adorado ler!
A mesma coisa acontece agora nos blogs. "Amei", "Adorei", "Lindo", "Perfeito". São comentários um tanto vazios, que não significam muito. Parece que a pessoa sai comentando a mesma coisa em tudo que visita, como se fosse automático.
Eu só gosto de comentar quando sinto que tenho algo para acrescentar. Então recomendo que você, quando for comentar o post do coleguinha, tente dizer algo legal, estimulante, que faça a diferença! Isso faz com que o autor do post sinta que está atingindo as pessoas e fazendo um trabalho legal. Ou se for criticar, faça uma crítica construtiva. "Acho que você poderia melhorar fazendo isso ou aquilo". A pessoa vai gostar de saber!


4- Desvalorizar o trabalho alheio: Essa é uma coisa que eu nunca vivi, mas que já ouvi falar muito nos grupos. Existem blogueiros que são também designer's e trabalham fazendo layouts e capas para redes sociais, entre outros serviços, por encomenda. E é claro que isso tem um preço. Cada pessoa sabe o quanto custa seu trabalho. Para um leigo, às vezes o preço de um layout pode parecer caro, mas quem trabalha com isso sabe quantas horas vai empregar, quanto material vai gastar, e quanto vai custar tudo isso. Recentemente, a Mandy Castilho, que fez a logo do Loucura Por Leituras e a capa do minha página, postou uma lista dos materiais que ela usa no trabalho dela:

Lista dos materiais usados pela Mandy Castilho.
Fonte: Reprodução.


Lista dos materiais usado pela Mandy Castilho
Fonte: Reprodução.

É muita coisa, né?
E existe gente na blogosfera que ignora isso e às vezes tenta vender um serviço com pouca qualidade cobrando bem mais barato do que o custo real, na intenção de vender mais. Isso é muito comum no "mercado" de layouts. Assim, uma pessoa que realmente trabalha com isso, que tem formação específica e técnica, fica prejudicada em detrimento de alguém que pode nem saber direito o que está fazendo.
E, o que é pior: algumas pessoas roubam layouts e ilustrações que foram disponibilizados gratuitamente, e vendem como se fossem um produto delas! Vamos parar, que tá feio, né gente?


5- Pessoas que fazem parcerias só para "ganhar coisas de graça": Todo mundo já ouviu falar sobre o quanto as blogueiras famosas ganham só pra fazer um publi, ou seja, aqueles vídeos ou posts em que se fala bem de um produto depois de ter recebido uma quantia em dinheiro. E é claro que todo mundo gostaria de ser como elas.
Mas... Tem gente que começa um blog tendo isso como única meta! Principalmente no nicho literário. Parece que muita gente só quer "ganhar livros de graça" pra encher a estante. Então a pessoa concentra todas as suas energias para conseguir alcançar um crescimento que agrade a Marca X ou a Editora Y, como se isso fosse tudo que importa. Mas pera, a gente não tem blog pra poder compartilhar o que a gente gosta, fazer amizades, ajudar e ser ajudado e encontrar pessoas com gostos em comum? Porque esse é o meu objetivo com o meu blog, e esse era o objetivo da maioria das blogueiras famosas que começaram 5 ou 7 anos atrás e nem imaginavam essa história de parceria!
Gente que age assim acaba gerando uma outra coisa chata...


6- Empresas que desvalorizam os parceiros: Eu poderia ter dito isso no tópico anterior, mas achei que seria melhor criar outro tópico, porque uma coisa leva a outra.
Existem certas marcas, lojas e empresas que têm um ótimo relacionamento com seus parceiros e são muito satisfatórias. Mas existem também aquelas que propõem parcerias completamente desvantajosas para o blogueiro, e isso acontece, em geral, porque: 1) muita gente às vezes fica empolgada com uma proposta e aceita sem analisar direito; ou 2) muita gente se comporta como eu falei no tópico 5.
Na semana passada, a Helena Machado do Leituras e Gatices fez um relato pessoal sobre experiências ruins que teve em parcerias com editoras. Ela conta que passou a se sentir pressionada pelos prazos curtos e pelas necessidades de ler livros que muitas vezes não eram interessantes para ela. "Se antes das parcerias eu era livre para ler, resenhar e divulgar o que eu bem entendesse, depois, minhas opções foram drasticamente limitadas.". Ela também fala da péssima comunicação entre as editoras e os blogueiros: "É muito chato enviar um e-mail e não ser respondida. Mais chato ainda ficar no vácuo nas redes sociais. É como se fosse uma via de mão única, um canal de comunicação em que um dos lados não ouve.".
Ainda na mesma semana, aconteceu outra coisa que me fez refletir bastante e que contribuiu para que eu percebesse a relevância desse post que estava planejando:
Uma certa editora cujo nome não vou citar mas que todos sabem qual é selecionou seus parceiros. Para quem não foi selecionado, a equipe enviou um e-mail dizendo que havia 3 vagas remanescentes, e para essa seleção, a editora queria avaliar posts sobre ela publicados nos blogs dos candidatos. Havia um formulário em que a pessoa deveria registrar links para posts sobre a editora publicados a partir de dezembro. Ou seja, era um pedido para que todos que foram rejeitados na seleção produzissem a maior quantidade possível de conteúdo sobre a editora, para lutar desesperadamente por uma dessas 3 vagas!
Eu quase caí nessa armadilha, mas percebi a tempo que se tratava de uma estratégia para conseguir divulgação gratuita e massiva. Que coisa feia! E é triste pensar que eles pediram isso por saber que muitas pessoas iriam mesmo fazer. Alguns devem estar fazendo isso agora mesmo.


Então, foi isso. Essas são apenas algumas das situações desagradáveis que nós blogueiras(os) passamos todos os dias, e muitas vezes nos deixam desanimadas com a blogosfera. Foi também uma espécie de desabafo, pois há muito tempo eu tinha vontade de falar sobre certas coisas que me irritam, especialmente o spam.
Espero que possamos, com o tempo construir uma blogosfera mais saudável, amigável e profissional para todos.

Por: Lethycia Dias

10 Comentários

  1. Tenho pouco mais de um ano de blog e já percebi muito do que você disse acima, infelizmente. Tenho feito um trabalho mental de não me deslumbrar com parcerias, para que eu não acabe virando massa de manobra. É uma tentação, mas vejo a qualidade de muitos blogueiros cair drasticamente quando caem na armadilha das parcerias com muitas editoras. Acabam tornando-se mais do mesmo. Bom é fazer a diferença. Bjs! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que isso que aconteceu na semana passada foi a gota d'água pra que eu me desencantasse com as parcerias. Cheguei à conclusão de que se eu gosto de uma editora, vou lá e compro os livros que quero ler e pronto. É tentação sim, parece uma maravilha sim, mas eu já ouvi tanta coisa negativa em relação a isso... E tenho horror à ideia de ter que ler livros que não me interessam em detrimento do que eu quero ler de verdade.

      Excluir
  2. Infelizmente tem gente que só entra nesse meio visando ser famoso,e parte para as mais diversas estratégias que incomodam e como eu disse já num post colaborativo,às vezes a pessoa até tem um conteúdo legal,mas ao fazer spam nas postagens alheias ela perde a oportunidade de ser lida.
    Já vi bastante relatos sobre as editoras e a verdade é que hoje eles prezam por blogs mais "vistos" e querem a divulgação de seus livros a qualquer custo,pretendo sim ter uma parceria com alguma editora séria,mas se eu vir que não está sendo bom para mim eu saio,não é justo você ter que se matar para fazer algo que não quer.
    Gostei do post e espero que muita gente leia para entender esses pontos.
    Beijos ^.^
    Little Wonders

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jennyfer!
      Sim, realmente! Parece que vendo o quanto os youtuber's famosos realiam todos os dias, as pessoas ficam desejando aquela vida, sem nem imaginar o quanto a pessoa teve que batalhar e se esforçar por muito tempo. E muitos deles dizem que começaram com um diário, uma brincadeira, e que nunca imaginaram que chegaram onde chegariam. Não temos como garantir que seja verdade, mas em relação a alguns deles que admiro e acompanho, eu acredito que seja sim. Aí a pessoa viu a matéria do Fantástico dizendo quanto ganha uma blogueira e do dia pra noite decide que também vai ser uma... Mas acho que blogs assim não duram muito tempo.

      Excluir
  3. Lethycia, que post necessário! Assim que acessar pelo meu notebook irei compartilhar, pois concordo com tudo que vc citou, está impecável a sua argumentação. Como vc nem percebeu e aponta no seu texto, a gente mesmo se desvaloriza ao priorizar os números ao invés do conteúdo e, por conseguinte, as empresas/editoras acabam nos tratando como se estivéssemos mendigando livros. É uma bola de neve e só vai diminuir no dia em que os blogueiros se darem ao respeito.
    Felizmente tem muita gente bacana na blogosfera, como vc, que ainda prioriza o relacionamento com o público e produz conteúdo de qualidade.
    Bjs, Hel. ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, isso é verdade! Sempre vejo posts falando que temos que tomar cuidado com propostas que não oferecem vantagem pra gente. É mesmo como se a empresa/editora pensasse: "Eles só querem mesmo ganhar coisas", e aí se aproveitam disso, na nossa ingenuidade, e também da falta de senso de algumas pessoas. Aí, até pra quem ta de fora, fica parecendo mesmo que ser blogueiro é só ganhar as coisas de graça. Vejo muita gente que pensa isso e fico super irritada.
      Obrigada pelo carinho com esse comentário tão lindo. Fiquei muito feliz quando li!

      Excluir
  4. Amei! Visita meu blog:
    IUEHEIUHEIUHE tô brincando!
    Olha, concordo com quase tudo que você disse aí. É suuuuper chato quando vejo que tem comentário em alguma divulgação minha e quando vou ver é spam ¬¬ ou então quando recebo um e-mail novo e são as novidades de um blog do qual eu nunca ouvi falar! Me enfiam na lista de newsletter e beleza.
    Troca de seguidores é algo que eu vejo que acontece muuuuuito e em geral vem acompanhado de um "preciso de tantos seguidores para conseguir uma parceria..." mehhhhh
    Eu prefiro não ter parceria a me sujeitar a isso.
    Só a troca de comentários que eu costumava fazer até umas semanas atrás, mas porque assim eu conhecia outros blogs e eles também conheciam o meu. Aliás algumas dessas pessoas de trocas acabaram se tornando seguidores fieis e eu delas, coisa que raramente (ou nunca) acontece nas trocas de seguidores, que é só pra aumentar número mesmo.
    Confesso que no início do blog eu queria mesmo era ter ele pra ter parceria com editoras, achava que era tudo mil maravilhas, mas hoje, dois anos e pouco com esse blog, percebo que não é bem assim, e que só em poder compartilhar minha opinião sobre as coisas que gosto ou não gosto já é muito satisfatório e parcerias vêm com o tempo e precisam ser MUITO bem analisadas porque sempre haverá os espertinhos que não valorizam e/ou não cumprem o que prometem.
    Excelentes colocações!

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Março você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu detesto newsletter! Nas que me inscrevi, nunca visitei nada! Me irrita ficar recebendo um monte de e-mails sem ser sobre alguma coisa que me interessa. Até porque, eu NUNCA tenho tempo pra ir ler na hora que o e-mail chega. Quando eu gosto de um blog, não preciso que alguém me lembre de ir visitar, eu vou lá e vejo. Ou então já acompanho pelas redes sociais, pra saber mais ou menos que conteúdo novo espera por mim. Fiquei muito feliz no dia que descobri como cancelar uma newsletter! kkkkk
      Acho que sei que tipo de troca de comentários é essa que você ta falando. Alguns grupos que participo organizam um tipo de divulgação onde todos deixam o link do post/vídeo em um tópico, e precisam visitar e comentar os posts/vídeos que lhes despertam o interesse. Já participei disso, e na época fez aumentar muito minhas visualizações e comentários. Nunca vi como uma troca, e sim como uma forma de conhecer blogs novos com conteúdo de qualidade. Inclusive eu lia muitos posts interessantes nessa época. Pena que pararam de organizar, e agora eu já não teria tempo pra isso :/

      Excluir
  5. Olá!!
    Eu não ia comentar, até ler sobre a editora que você não quis citar o nome e que todo mundo sabe quem é por eu meio que fiz isso. Fico até envergonhada de falar isso aqui. Eu até gosto dos e-mails que eles mandam, pois ajuda bastante quanto eu estou sem assunto e preciso postar algo para não deixar meu blog criar teias de aranhas. Infelizmente, deram um prazo curto, pois eu até iria agilizar uma resenha de um livro deles que tenho que escrever.
    Nossa, ultimamente ando odiando "visita o meu que eu visito o seu", até coloquei na área dos comentários para não fazer isso que o comentário nem vai ser publicado.
    Ah, não sei se você esqueceu, se já aconteceu com você, mas outra coisa que seria bacana você ter comentado era sobre os comentários maldosos (já recebi e quase deletei meu blog por causa disso, sorte eu ter conseguido bloquear a pessoa em questão na época), mas a autoestima vai lá embaixo.
    Até...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que coisa horrível!
      O ódio gratuito é uma coisa que me assusta muito, e fico feliz de nunca ter passado por isso. Sei que é mais comum quando a pessoa é famosa, mas algumas blogueiras que eu acompanho, e que não são conhecidas (tem blogs até grandinhos, mas nada que torne uma pessoa famosa na internet ou fora dela) já sofreram ataques de pessoas preconceituosas, que chegaram até a criar perfis fakes pra ridicularizar o trabalho delas.
      Às vezes tenho vontade de trazer algum assunto pra cá, mas me dá medo de acabar chamando a atenção de despertar isso. Não sei como pode existir gente disposta a dedicar seu tempo odiando alguém.
      Ainda bem que você enfrentou isso, imagino que seja uma pressão psicológica muito grande.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...