Confira!

12 meses de Poe | Eleonora | Annabel Lee

Hoje é dia de falar de Edgar Allan Poe aqui no blog. Trata-se de um desafio literário em que são realizadas leituras coletivas mensais de contos e poemas de Edgar Allan Poe. Criado no ano passado, o #12mesesdePoe me ensinou o quanto é legal participar de desafios e projetos literários e é uma das minhas colunas preferidas aqui no blog.
Esse mês, estamos lendo Eleonora e Annabel Lee. Eu nunca tinha ouvido falar de Eleonora, mas sei que Annabel Lee é um dos poemas mais famosos de Poe. Continue lendo para conhecer minhas impressões sobre o conto e o poema.

Eleonora


O narrador-personagem inicia este conto informando que faz pate de uma família de pessoas com grande imaginação e que sentem emoções de forma muito intensa. E que, apesar de ser considerado louco, ele acredita que conhece muito mais a vida do que outras pessoas que parecem mais "lúcidas". "Descendo de uma estirpe que se distingue pelo vigor da imaginação e pelo ardor das paixões. Os homens chamaram-me louco; [...] Os que sonham de dia são conhecedores de muitas coisas que escapam aos que apenas sonham de noite.". E por isso, ele acredita que mesmo que a história que vai contar não tenha acontecido como ele se lembra, ela vale a pena ser contada.
Este personagem se casou com sua única prima. Eles viveram juntos em uma propriedade distante e isolada, cercada pela natureza. Os dois frequentavam uma espécie de bosque chamado "Vale da Relva Multicor" e um rio chamado "Rio do Silêncio", onde tiveram muitos momentos felizes.
Mas Eleonora acabou adoecendo, e ao perceber que estava prestes a morrer, fez com que o narrador prometesse que após sua morte nunca iria esquecê-la, deixar de amá-la ou amar outra mulher. Com a morte dela, ele dedica a maior parte de seu tempo relembrando os momentos que viveu com Eleonora, até perceber que o Vale da Relva Multicor não é mais como antes, as sensações que tinha naquele lugar não são mais as mesmas, e a "presença" de Eleonora desapareceu dali. Então o lugar e as lembranças o fazem muito triste.
O narrador se afasta da propriedade em vivia, indo morar em uma grande cidade, onde conhece outra mulher, tão bonita quanto sua amada Eleonora, por quem se apaixona depois de anos de solidão. Ele não havia se esquecido de sua promessa e nem da consequência que sofreria caso não a cumprisse.

Prefiro não revelar qual foi a decisão tomada pelo narrador, mas digo que este é o único conto escrito por Poe (entre os que conheço) com um final feliz ou bonito, de certa forma.
Este conto se diferencia muito de qualquer outra história que eu já tenha lido por Poe. Ele escreveu várias histórias sobre mulheres lindas que morrem cedo, deixando um homem apaixonado que se entrega ao sofrimento. Entretanto, essa não tem nada do teor macabro, sombrio ou trágico das demais. É, pelo contrário, uma história muito mágica, bonita e fantasiosa, com uma visão mais otimista e alegre sobre o amor.
É uma história curta, visto que conta com apenas 4 páginas no documento em PDF organizado e disponibilizado pela criadora do 12 meses de Poe. O conto chega tem um momento de clímax, pois por estarmos acostumados a outras histórias de Poe, esperamos por um final terrível. Quanto a isso, também não vou dizer mais nada. Digo apenas que gostei muito do que li.

Annabel Lee


Como podemos adivinhar pelo título e pela experiência com alguns dos contos já lidos para o desafio, este poema é sobre uma mulher amada pelo eu-lírico. O eu-lírico fala de ter crescido junto com sua amada Annabel Lee numa região litorânea, e que os dois se amaram desde a infância.

"Eu era criança e criança ela também,
Num reino junto ao mar,
Nos amamos com amor imenso,
Annabel Lee e eu, de tanto amar,
Com um amor que os amados Serafins
Lá no Céu ousaram invejar."

Porém, como é dito nos últimos dois versos da estrofe acima, o amor do eu-lírico e de Annabel Lee despertou inveja nos céus. Por isso, Annabel Lee não viveu por muito tempo. Ela foi morta por "[...] um vento na noite nublada", que congelou seu corpo.
Mas o amor dos dois é tão forte que não abala a o eu-lírico. Por isso, ele sabe que nada pode afastá-lo de Annabel Lee.

"Mas nosso amor era mais forte que o amor
Daqueles mais antigos
Daqueles mais sábios - 
E nem os anjos lá nos Céus
Nem os demônios no mar,
Não podem mesmo minha alma
Da bela Annabel Lee afastar."

Por isso, o eu-lírico continua visitando todos as noites o túmulo de Annabel Lee.


Eu já conhecia Annabel Lee devido à resenha da Lívia Santana, do Check-in Virtual, do livro The complete poetry of Edgar Allan Poe, onde a Lívia lê o poema em inglês.
Trata-se de um poema repleto de ritmo. A tradução foi feita se atentando à isso e também às rimas, que estão adaptadas para o Português. É um poema também curto, preenchendo apenas uma página em um documento PDF. Assim como o conto Eleonora, não é um poema triste, macabro ou sombrio, mas uma linda declaração de amor.


Então, é isso. Ainda sinto certa dificuldade em avaliar criticamente os poemas, visto que não posso ler a versão original.
Esse foi o 12 meses de Poe de hoje. No mês que vem nós vamos ler vamos ler o conto A aventura sem paralelo de um tal Hans Pfaal e o poema Sozinho, ambos desconhecidos por mim. Até lá, clique neste link para conhecer todos os outros posts do desafio!

Por: Lethycia Dias

6 Comentários

  1. Eu não sabia que tinha o conto Eleonora... Ele deve ter amado muito essa mulher!! Em O Corvo tem Leonore, ele tem um poema também que se chama Leonore ou Eleonore, algo assim... E Annabel Lee... Sem palavras... I was a child and she was a child in a kingdon by the sea... É delicioso esse poema... Poe divo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, a edição não inclui esse conto. É mais porque eu decidi parar de fazer aquelas imagens coloridas (já tava repetindo as cores), pra usar fotos dos livros dele que tenho aqui em casa. Aí fiz o post meio na pressa e só usei essa foto porque já tava pronta mesmo.
      Eu amei ler Annabel Lee. Já tinha gostado de ouvir pelo seu vídeo, mas ler foi bem legal também!

      Excluir
  2. Esqueci de comentar, mas essa foto está maravilhosaaa!! Amei a edição e o minimalismo bonito do título! Muito elegante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Prometo que os próximos posts do desafio vão ter fotos ainda melhores, porque eu planejei um negócio bem legal quando decidi parar de usar as imagens coloridas. Também amo muito essa edição, ela é incrível! <3

      Excluir
  3. Comprei esse livro na promoção do dia internacional das mulheres

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A promoção tava boa mesmo! Também aproveitei

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...