Confira!




Já parou para pensar no quanto uma simples palavrinha, com três letras, é importante na nossa fala e também na escrita? Na Língua Portuguesa, em geral? Estou falando da palavra que. Já parou para pensar no quanto nós a utilizamos, sem realmente pensar qual a importância dessa palavra em certas frases? Eu pensei, e ao pesquisar sobre isso para escrever esse post, fiquei impressionada com a quantidade de funções que o que pode assumir, sem percebermos. Vamos agora conferir algumas delas, para que você entenda o quanto ele é importante.

Advérbio: pode ser um advérbio, intensificando palavras às quais estará ligado.
Exemplos:
Que lindo dia! (intensifica o adjetivo lindo).
Que menino educado! (intensifica o adjetivo educado).

Conjunção coordenativa: liga orações equivalentes. Pode dividir-se em:
A) Aditiva: liga orações estabelecendo uma sequência de fatos, tendo função semelhante à da conjunção e.
Exemplos:
Diz que diz, e nada acontece!
Anda que anda, e nunca chega aonde quer.

B) Adversativa: expressa oposição.
Exemplos:
Outra pessoa, que não eu, deveria fazer algo.
Muitos funcionários, que não eu, seriam demitidos.

C) Explicativa: indica motivo ou razão, e funciona de forma semelhante ao porque.
Exemplos:
Pegue as roupas no varal, que lá vem chuva;
Arrume seu quarto, que teremos visita.

Conjunção subordinativa: liga orações que precisam obrigatoriamente de complemento para que possam ser compreendidas; a ação que se sucede ao que terá, no período, terá a função substantiva ou adverbial, em relação à oração principal (da qual ela depende). Divide-se em:
A) Causal: introduz orações adverbiais causais, que desempenham função de porque.
Exemplos:
Fugimos todos, que a maré vinha subindo depressa.
Não esperaria mais, que ela já demorava muito.

B) Comparativa: introduz orações subordinadas adverbiais comprativas.
Exemplos:
Eu sou mais alto que o meu irmão.
As crianças de antigamente brincavam muito mais que as de hoje.

C) Consecutiva: introduz orações subordinadas adverbiais consecutivas, indicando consequência.
Exemplos:
É tão baixinho que não alcança a prateleira.
Tanto reclamou que teve o que queria.

D) Concessiva: introduz oração subordinada adverbial concessiva, e equivale a embora.
Exemplos:
Que não aprovem nosso amor, continuaremos juntos!
Durma e descanse que seja só um pouco!

E) Final: introduz oração subordinada adverbial final, e equivale a para que ou a fim de que.
Exemplos:
Todos lhe fizeram sinal que se calasse.
A mãe incentivou muito, que não tivesse vergonha.

 F) Temporal: introduz oração subordinada adverbial temporal, e tem sentido próximo a desde que.
Exemplos:
"Porém já cinco sóis eram passados que dali nos partíramos" (Camões), (grifo nosso).
Agora que a luz se apagou, nada podemos ver.

Interjeição: exprime surpresa ou encanto. Neste caso, quando for uma exclamativa, a palavra que deve ser acentuada.
Exemplos:
Quê! Você faltou por todo esse tempo?
Quê! Não podemos fazer isso!

Partícula de realce: aparece presente no contexto como recurso expressivo, e sua retirada não prejudica o sentido.
Exemplos:
Então qual que é o verdadeiro campeão?
Que vontade que tenho de encontrar você!

Preposição: Equivale à preposição de ou para, ao acompanhar os verbos ter e haver.
Exemplos:
Você tem que obedecer quando recebe uma ordem. (que + de)
Se é assim, não temos muito que fazer. (que = para).

Pronome adjetivo indefinido: funcionando como adjunto adnominal, acompanha um substantivo.
Exemplo:
Que tempo mais esquisito!
Que lanche delicioso!

Pronome adjetivo interrogativo: ainda desempenha função de adjunto adnominal, acompanhando substantivos das frases interrogativas.
Exemplo:
"Que livro você está lendo?"
Que horas são?

Pronome indefinido substantivo: equivale a que coisa.
Exemplo:
Que caiu?
A roupa era feita de quê? (Ao fim da frase deve ser acentuado).

Pronome relativo: refere-se a um termo antecedente, e pode ser substituído por o qual, a qual, os quais ou as quais.
Exemplo:
Aquela é a garota que não aceitou meu pedido de namoro.
O vizinho que eu detesto sempre ouve música alta.

Como vimos, a palavra que, uma simples palavrinha de três letras, desempenha inúmeras funções. Pode ser preposição, conjunção, pronome, partícula de realce, interjeição e advérbio, e muitas vezes é fundamental, pois faltam palavras que possam substituí-la. Por isso, é tão importante conhecer sua função, pois assim podemos usá-la melhor, e evitar o uso inadequado. Dessa forma, a escrita se torna mais correta.
Espero, com esse post, ter ajudado a quem tinha a curiosidade, ou a que precisava se informar sobre o tema.

Por: Lethycia Dias

Bibliografia:
MUNDO VESTIBULAR. Funções da palavra QUE. 11/04/2011/. Disponível em:
VILARINHO, Sabrina. Classe de palavras. As funções morfossintáticas da partícula que. Mundo Educação. Disponível em:

2 Comentários

  1. Oi querida, roubartilhei sua postagem kkk, te convido a participar da minha comunidade "A arte do saber" para compartilhar seu blog com a gente, adorei estar aqui com você, espero que goste da nossa comunidade! bjinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jaciane, se você compartilhou, fico grata, porque assim outras pessoas poderão ler. Mas se você pretende reproduzi-la em outro site ou blog, tenha por favor a gentileza de citar meno nome kkkkk.
      Fora isso, agradeço pela visita, e pelo comentário. Visitarei sim a comunidade! Obrigada!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...