Confira!

Olá, leitores de todos os lugares! Fui indicada pelo blog A Culpa é dos Livros para responder à TAG Personagens Opostos! É o primeiro post do tipo que faço, e espero sinceramente que manifestem sua opinião sobre o que vou escrever abaixo.

1- Um personagem forte e um fraco

Forte:


Para o personagem forte, escolhi Mariam, de A Cidade do Sol, uma mulher que para mim define a força e resistência femininas. Forçada a casar-se, aos 15 anos, com um estranho, Mariam sofre muito ao longo de toda a história, mas demonstra uma determinação imensa para sobreviver à opressão de um marido violento, e do próprio regime de seu país, o Afeganistão, que por ser de orientação islâmica, é desfavorável à mulher.

Fraco:

Os fãs da saga Hush Hush que me perdoem. Li os livros por indicação de um amigo, e só não parei pela curiosidade sobre o Patch, mas não conseguia concordar com muitas das atitudes da Nora. Ela age quase sempre por impulso, levada por suas emoções momentâneas sobre Patch (principalmente quando sente ciúmes), ou por qualquer outra pessoa (Marcie, por exemplo). Em muitas ocasiões, ela simplesmente desiste de tudo e chora.

2- Um personagem velho e um personagem criança:

Velho:

Há vários personagens velhos em toda a série O Tempo e o Vento, de Erico Verisimo, mas a personagem que decidi destacar é a Maria Valéria, tia do Dr. Rodrigo, que aparece, se não me engano, em O Continente 2, e permanece até O Arquipélago 3. Sempre presente na narração, que em O Retrato é feita pelo Dr. Rodrigo, e em O Arquipélago dividida por uma uma grande quantidade de pontos de vista, Maria Valéria enfrenta com firmeza as várias coisas pelas quais a família passa neste período de fim do século XIX até a década de 1940.

Criança:


Mary Lennox, de O Jardim Secreto é uma garota de origem inglesa criada na índia numa casa onde tinha tudo o que queria, e era, por isso, muito mimada e "mandona". Ao ser levada para viver na Inglaterra com seu tio Archbald Craven numa casa que se dizia ter mais de cem quartos depois que toda a sua família morre de cólera, Mary tem muitas lições a aprender, e algumas delas são a solidariedade e o amor. A personagem cresce muito durante a narrativa.

3- Um personagem reservado e um personagem que é um "livro aberto":

Reservado:


Charlie é um grande exemplo de personagem reservado. Ele é tímido, envergonhado, e sente muita dificuldade de se expressar. Tem dificuldade para fazer amigos, e para compreender as pessoas, e é sua grande dificuldade de falar de si mesmo que o leva a escrever cartas sobre sua vida para um desconhecido.

"Livro aberto":


Samantha Kingston é um verdadeiro livro aberto. Durante os sete dias mais loucos de sua vida (que na verdade é um só, que se repete várias vezes), ela não consegue, em muitas ocasiões, disfarçar as emoções. Seus conflitos e dilemas saem de dentro dela para refletir-se em suas ações e no impacto que elas têm sobre as pessoas ao seu redor.

4- Um personagem bom e um mau:

Bom:


Em Poderosa, uma divertida série de livros sobre uma garota que tem o poder de transformar suas palavras em realidade, a personagem boa é a Vó Nina, aquele exemplo que todo mundo conhece se avó que cozinha bem, que conversa com a gente sobre tudo, que tenta entender nossos problemas e está sempre resolvendo tudo. É aquela avó que todo mundo queria ter!

Mau:


A srta. Taylor, a segunda preceptora contratada para educar Gilles, é a maldade em pessoa, de acordo com Florence, que é quem narra a história. Trata-se de um suspense com um pouco de terror, e muitas vezes a srta. Taylor faz coisas impensáveis, ou que parecem sobrenaturais. Acrescente a isso o grande medo que Florence tem de que ela faça mal ao seu irmão, e pronto: temos uma verdadeira bruxa má!

5- Um personagem que eu gosto e um que eu odeio:

Gosto:


Para esse livro, tive que buscar a capa antiga (que aliás, acho mais bonita do que a nova), pois o personagem de quem mais gosto em A menina que roubava livros é a Morte. Para começar, é ela quem narra toda a história. E ela é irônica, um tanto pessimista (mas na medida certa para a época que retrata), e faz a história de Liesel Meminger parecer muito mais cativante do que se fosse "apenas mais um diário da Segunda Guerra".

Não gosto:


Em uma série com tantos personagens, é impossível gostar de todos, até porque estamos sempre torcendo para que alguém se dê bem de alguma forma. Em As crônicas de gelo e fogo existem muitos personagens pelos quais ainda não formei opinião (afinal, não terminei a série), e muitos dos quais já decidi que não gosto de jeito nenhum. Não vou fazer uma escolha óbvia, como apontar a Cersei, ou o Lorde Frey (dos quais também não gosto). Vou apontar um personagem que sempre que aparece me dá preocupação e medo, e que não fez até agora nada que eu concordasse ou entendesse: Sor Gregor Clegane. Posso defini-lo em poucas palavras, é um homem irracional e bruto, que só entende a violência e não praticou (até onde li) nenhum ato que não fosse cruel e desumano.


Enfim, esses foram os personagens que escolhi, e espero receber a opinião de vocês sobre minhas escolhas, até porque esse post (a TAG) me deixou um pouco insegura, porque foi algo que nunca fiz antes. Agora, os blogs que resolvi indicar:



4 Comentários

  1. A Mariam é um amor de pessoa, né? Ela também é de fato, o personagem mais forte que já li. Fico impressionada com o sofrimento dela, e mais ainda com seu "sacrifício final" em favor da Laila. Chorei horrores lendo esse livro!

    http://primaveraconstante.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, A Mariam é uma guerreira! O livro é simplesmente maravilhoso!

      Excluir
  2. Muito legal. Obrigado por ter respondido. Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada, e agradeço por ter vindo fazer uma visita!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Veja quem me segue:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...